Lead Time

A fim de expandir seus sistemas produtivos e controlar a produção e estoques, muitas empresas estão se voltando à técnicas da ciência administrativa como o Kanban (instrumento de comunicação que auxilia a fabricação correta de produtos, nas quantidades corretas e no tempo correto em qualquer estágio da produção), TRF – Troca Rápida de Ferramenta (método que permite reduzir os tempos de mudança de utensílios, de matérias ou de séries), Poka-Yoke (dispositivos com a finalidade de agir preventivamente de forma a evitar a ocorrência de erros ou falhas mecânicas/humanas), entre outras. Entretanto, toda e qualquer técnica administrativa voltada ao acréscimo de valor aos produtos manufaturados ou serviços oferecidos, como as acima citadas, inevitavelmente percorrem por questões inerentes a redução de seu tempo de entrega. Assim, o Lead Time ou tempo de aprovisionamento, mostra-se como um ponto fundamental no estudo e na preparação de ambientes produtivos.

O professor Osny Augusto Junior entende o Lead Time como sendo o tempo necessário para um produto percorrer todas as etapas de um processo ou fluxo de valor, do início até o fim. Ainda, o professor arremata o termo tratando-o como “Tempo Porta-a-Porta”.

Algumas definições:

“Lead Time é uma medida do tempo gasto pelo sistema produtivo para transformar matérias-primas em produtos acabados” (TUBINO Dalvio Ferrar, 1999).

“Lead time ou tempo de throughput é o tempo necessário para que um produto evolua da concepção ao lançamento, do pedido à entrega ou da matéria-prima ao cliente e inclui o tempo de processamento e o tempo de fila” (CHRISTOPHER Martin, 1998).

“O lead time total é composto pelo tempo dedicado ao processamento de pedidos, à busca de fornecimento e manufatura dos itens e ao transporte dos itens entre os diversos estágios da cadeia de suprimentos” (SIMCHI-LEVI David, KAMINSKY Philip e SIMCHI-LEVI Edith 2003).

Gilberto Kosaka, diretor-presidente do jornal São Paulo Shimbun, entende o Lead Time como um componente do planejamento e, por isso, diferencia as práticas do Lead Time em áreas:

“(...) na área de Compras, as pessoas envolvidas nos processos deve saber claramente qual é o lead time, o intervalo de tempo para comprar os materiais necessários para a sua produção, desde a emissão do pedido até realmente o material estar a sua disposição para uso. Na produção, o lead time é o intervalo de tempo necessário para que o material passe pela fabricação – do primeiro até o último processo e estar pronto para outra etapa. Ou ainda, o lead time de entrega, intervalo de tempo necessário desde o momento que o cliente adquiriu a mercadoria até realmente ele tê-las em suas mãos”.

Em suma, a partir de algumas definições e aplicabilidades, o Lead Time deve ser percebido como uma determinada quantidade de tempo medida a partir da criação de uma ordem, passando pelo caminho crítico da composição de determinada demanda, até a entrega desta.

Referências
COSTA JUNIOR, Eudes Luiz. Gestão em processos produtivos. Curitiba: Ibpex, 2008.
SIMÃO, Luiz Eduardo. Mensuração do lead time da cadeia de valor: Um estudo de caso na cadeia produtiva têxtil. Florianópolis, 2006.
Kosaka, Gilberto. Lead Time. Disponível em < http://www.lean.org.br/colunas/13/Gilberto-Kosaka.aspx>
Osny Augusto Junior. Métricas Lean e mapeamento do fluxo de valor. Curitiba, 2009.

Arquivado em: Administração