África Equatorial Francesa

Por Emerson Santiago
A África Equatorial Francesa (em francês, Afrique équatoriale française - AEF) é uma antiga federação organizada pela França, no oeste da África central, que tinha como objetivo a melhor organização administrativa de suas possessões na região. Ativa de 1910 a 1958, esta entidade era constituída por quatro territórios: Gabão, Médio Congo (atual República do Congo), Chade e Ubangi-Chari (atual República Centro-Africana), compreendendo uma área total de 2.500.000 quilômetros quadrados. A capital administrativa era Brazzaville, também capital do Médio Congo (e que permanece como capital do atual país).

A AEF foi formada em grande parte graças aos esforços de Pierre Savorgnan de Brazza, que forjou a ligação entre as possessões francesas na bacia do Congo e os da África Ocidental (Brazza também empresta seu nome à cidade de Brazzaville). O embrião da AEF é a colônia francesa instalada em Libreville, no Gabão, em 1842. Com a gradual exploração a expansão dos franceses na área e a criação da Saúde Colonial, as possessões francesas na África equatorial serão organizadas originalmente em duas grandes colônias, Gabão e Ubangi, administrada por um comissário geral.

Em 1908, quatro territórios são criados: o Gabão, o Congo Médio, Ubangi-Chari e o Chade e em 1910, um decreto estabelece o governo-geral da AEF. O governador tinha um deputado em cada uma das quatro colônias, que por sua vez eram divididos em regiões, as quais eram por sua vez subdivididas em distritos.

Até 1920, o Chade e Ubangi-Chari formam um único território. Cerca de 259.000 quilômetros quadrados (o equivalente ao estado de São Paulo) foram cedidos à Alemanha e incorporados à colônia do Kamerun alemão (atual República dos Camarões) como resultado da crise de Agadir, em 1911. Esta mesma área termina por ser devolvida à França por meio do Tratado de Versalhes, em 1919, sendo que a colônia alemã se tornou um mandato da Liga das Nações, dividido em norte (sob administração francesa), e sul (sob administração britânica). Durante a Segunda Guerra Mundial a federação apoiou a França Livre, o movimento de resistência à ocupação nazista. Após a guerra, instalada a Quarta República Francesa, a AEF conquistou direito de representação no parlamento francês e no conjunto da União Francesa. Quando os territórios constituintes votaram em 1958 para se tornarem repúblicas autônomas dentro da Comunidade Francesa, a federação foi dissolvida. Em 1959, as novas repúblicas africanas formaram uma associação livre, chamada a União de Repúblicas Centro-Africanas, e em 1960, as mesmas constituem oficialmente repúblicas independentes dentro da Comunidade Francesa.

Bibliografia:
l'Afrique équatoriale française - AEF (em francês). Disponível em: <http://www.asnom.org/fr/153_aef.html>. Acesso em: 27 abr. 2012.

Les colonies françaises d'Afrique (em francês). Disponível em: <http://www.tlfq.ulaval.ca/axl/afrique/afrique_equatoriale_francaise.htm>. Acesso em: 27 abr. 2012.

French Equatorial Africa (em inglês). Disponível em: <http://www.discoverfrance.net/Colonies/Eq_Africa.shtml>. Acesso em: 27 abr. 2012.