Prebióticos

Os prebióticos podem ser classificados como compostos de fibras não digeríveis. Esses alimentos são ricos em fibras e esse é um dos motivos que os torna indigeríveis no trato gastrointestinal, no intestino delgado até chegarem ao cólon, onde eles serão fermentados pela microflora intestinal.

Deve-se saber que todos os prebióticos são considerados fibras, mas nem todas as fibras são consideradas prebióticos. Existem critérios físicos, biológicos e químicos que definem se essas fibras são prebióticos. Entre esses critérios estão:

  • A capacidade de resistência em contato com a acidez gástrica e a absorção dessas fibras no trato gastrointestinal superior.
  • Se é fermentada pela microflora intestinal.
  • Se estimula o crescimento e/ou atividade de bactérias intestinais potencialmente associadas com a saúde e o bem-estar dos hospedeiros ou consumidores.

O conceito de prebióticos é recente, mas seu consumo não. Existem evidências arqueológicas que indicam o consumo de prebióticos desde os tempos pré-históricos. Se pensarmos na grande variedade de alimentos com compostos prebioticos, fica difícil argumentar contra essas evidências.

Alimentos com prebióticos

Os alimentos com compostos prebioticos são muitos, e todos possuem essas fibras naturais. Entre esses alimentos estão: alho-poró, aspargo, chicória, alcachofra de Jerusalém, alho, cebola, trigo, aveia, soja etc.
A saúde do nosso organismo, e nesse caso específico o intestino, está ligada a várias outras características biológicas do organismo, portanto prebióticos e probióticos consumidos em conjunto serão importantes para o combate de inflamações e também ajudam a diminuir os riscos de contração de certas doenças.

Uma quantidade equilibrada na ingestão de prebióticos será diretamente vinculada a uma alta quantidade de benefícios ao corpo, incluindo:

  • Risco menor de adquirir uma doença cardiovascular.
  • Ajuda a manter os níveis de colesterol saudáveis.
  • Melhora a saúde intestinal.
  • Melhora a digestão.
  • Melhora a resposta do corpo ao estresse.
  • Reduz a possibilidade de inflamação e sintomas associados com a doença inflamatória do intestino.
  • Apresenta efeitos protetores para prevenção contra o câncer de cólon.
  • Pode ajudar no combate da obesidade.
  • Melhora o equilíbrio hormonal.

Produtos com prebióticos

Nos dias atuais existem suplementos de fibras que podem ser acrescentados em nossa dieta e assim permitem que seja feito um controle sobre a quantidade de prebióticos ingeridos, já que esses produtos apresentam valores pré-determinados. Esse método pode ser muito útil para o controle e prevenção natural de doenças sem o consumo de fármacos.

Referências:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3705355/
https://draxe.com/prebiotics/
https://www.prebiotin.com/foods-containing-prebiotics/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.