Arte Renascentista na Itália

Entre os anos de 1300 e 1650, a arte renascentista desenvolve-se na Itália. Naquele momento, as artes estavam submissas aos dogmas e pensamentos católicos. Portanto, afirma-se que o Renascimento foi um período revolucionário em que os artistas buscavam um maior entendimento sobre a humanidade, a natureza e o mundo. Entre outras características, os renascentistas foram fortemente influenciados pela filosofia, ciência e literatura produzida na Grécia e na Roma Antiga. A arte renascentista demarcou a passagem entre o fim da Idade Média para o começo da Idade Moderna. O Renascimento surgiu em Toscana, cidade localizada entre Florença e Siena. Tempo depois, foi disseminado por outros países da Europa.

Naquela época, apesar do início do rompimento com dogmas da Igreja, os artistas eram patrocinados pelo mecenato, pessoas com prestígio e poder econômico que fomentavam a  produção artística no intuito de melhorar a própria imagem. Dentro deste grupo, estavam mercadores ricos, príncipes e, até mesmo, cardeais e papas. Muitos artistas foram beneficiados pelos mecenas, como Rafael, Michelangelo, entre outros.

A arte renascentista possuía características como: natureza e homem como centro das preocupações, utilização do chiaroscuro, perspectiva e proporcionalidade no intuito de produzir obras com rigor científico, representação das emoções do ser humano, racionalidade e idealização da harmonia e da beleza (arte greco-romana). Além disso, percebe-se a valorização dos prazeres espirituais e terrenos (Hedonismo), a preocupação em retratar a realidade da maneira mais fiel possível (Naturalismo) e a valorização do livre-arbítrio.

Um dos nomes mais importantes foi Leonardo da Vinci, que não se contentou com a produção de obras em apenas uma área, tendo dedicado sua vida à ciência, música, poesia, matemática, engenharia, escultura e pintura. Porém, foi na pintura que ficou mais conhecido. Entre suas obras, consideradas marcos da Arte Renascentista, estão a “Última Ceia” e a “Monalisa”.

No que se refere à arquitetura produzida naquela época, tudo era feito com base em cálculos. Os renascentistas fazem uso da geometria euclidiana, que, com base na obra de Euclides de Alexandria, propõe construções em duas e três dimensões. A influência da arte grega continua presente neste campo com os seguintes tipos de coluna: coríntia, jônica e dórica. São construídas vilas, igrejas e palácios onde se percebem arcos de volta-perfeita, composições simples e um desprendimento da arquitetura em relação à pintura e à escultura. Um dos arquitetos mais importantes do renascimento foi Fillipo Brunelleschi. Entre suas obras, destacam-se a Catedral de Santa Maria Del Fiore e a Capela Pazzi, localizadas em Florença.

Fontes:
http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=3637
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mecenato
http://www.slideshare.net/foquinha15/arte-renascentista-7574965

Arquivado em: Artes, Itália, Renascimento