Grupo dos Cinco

Formado por Anita Malfatti, Tarsila do Amaral (pintoras), Menotti Del Picchia, Oswald de Andrade e Mário de Andrade (escritores), o Grupo dos Cinco foi responsável, junto a outros artistas, pelo referencial ideológico e artístico da Semana de Arte Moderna de 1922, realizada no Teatro Municipal de São Paulo. Desta forma, organizaram as primeiras manifestações do modernismo no Brasil.

Entre os anos de 1922 e 1930, muitas ideias modernistas ganharam força no Brasil. Com a proliferação de publicações em São Paulo e no Rio de Janeiro, a população começou a ter acesso a obras com conteúdo crítico e passou a formar suas opiniões e tomar consciência a respeito da realidade da sociedade brasileira daquele período.

O modernismo brasileiro é considerado um movimento que, muitas vezes, aliava a arte a temas políticos, como, por exemplo, na poesia Ode ao Burguês, de Mário de Andrade, que criticava a sociedade paulista dos anos 20. Entre outros aspectos, o Modernismo era contrário à política totalitária daquele período, denunciando as diferenças sociais entre as oligarquias rurais e grupos como os imigrantes e os proletários.

Endossada pelo Grupo dos Cinco, a Semana de Arte Moderna de 1922 é considerada um ponto culminante da insatisfação dos artistas no que se refere aos modelos importados da Europa, os chamados "ismos": Cubismo, Surrealismo, Dadaísmo, entre outros. Além disso, os modernistas tinham o objetivo de reafirmar a cultura nacional, buscando sua pluralidade e essência através da arte.

Entre os anos de 1913 e 1917, são observadas algumas manifestações do Modernismo no Brasil. Houve a exposição de de Lasar Segall e a de Anita Malfatti, que naquele período não chamaram a atenção. Porém, ocorre uma segunda exposição de Anita, que recebe uma crítica feita pelo escritor Monteiro Lobato, polarizando a divergência entre as antigas escolas e as ideias inovadoras dos modernistas.

Por intermédio de Paulo Prado, empresário, e Di Cavalcanti, foi organizada, junto ao Grupo dos Cinco, uma semana de apresentações artísticas inspirada em um evento francês. A temática da Semana de Arte Moderna era a renovação artística e o tema nativista. Foram expostas obras de artistas como Wilhem Haarberg, Hildegardo Leão Velloso, Zina Aíta, Yan de Almeida Prado, Vicente do Rego Monteiro, Paim Vieira, Martins Ribeiro, Ferrignac, Victor Brecheret e o medalhões Anita Malfatti, Mário de Andrade, Tarsila do Amaral, entre outros integrantes do Grupos dos Cinco. Com isso, as ideias modernistas ganharam âmbito nacional e passaram a ser discutidas durante todo o século XX, influenciado obras de autores contemporâneos e na arte em geral.

Fontes:
ANDRADE, Oswald de. Manifesto Antropofágico. Disponível em http://www.lumiarte.com/luardeoutono/oswald/manifantropof.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Grupo_dos_Cinco_(Arte_Moderna_Brasileira)
http://michelechristine.wordpress.com/o-livro/grupo-dos-cinco/
http://virzionair.com/biblioteca/work/o-grupo-dos-cinco/

Arquivado em: Artes