Pintura no Romantismo Brasileiro

Por Fernando Rebouças
Principal expressão das artes plásticas na segunda metade do século XIX, no Brasil. Está inserida na escola e no movimento romântico ocorrido durante o Segundo Reinado, que inspirou não somente as artes plásticas, mas intensamente nossa literatura.

A pintura romântica no Brasil teve características singulares em relação à manifestação europeia. Apresentou uma aparência mais palaciana e com teor neoclássico. A pintura plástica brasileira mesclou até o início do século XX, características do Realismo e do Simbolismo.

Os temas da pintura romântica no Brasil, eram cerceadas de temas nacionalistas, que visava, sob interesse de Dom Pedro II, propagar a imagem de um Brasil civilizado, unido e progressista, algo não presente na realidade do país na época. Houve a retratação de eventos históricos, da exuberância da natureza, figuras populares, da imagem do índio e tudo que fortaleceria uma visão de identidade nacional.

Segundo críticos de arte, a pintura nesta época recebeu diversas influências que se conflitavam na época, aqui encontraram terreno de mescla, sendo a pintura brasileira nos tempos do Romantismo não considerada um movimento sólido.

A pintura desta época ocorreu no círculo , quase que exclusivo, da Academia Imperial de Belas Artes, a escola de arte referencial do país na época. Os nossos principais artistas daquele momento foram Manuel de Araújo Porto-alegre, Pedro Américo, Victor Meirelles, Rodolfo Amoedo e Almeida Júnior.