Desemprego na zona do Euro em 2012

Por Fernando Rebouças
Atualmente, no bloco da União Européia, os países que adotam o euro como moeda única são pertencentes à  zona do euro. A recente crise global iniciada nos EUA, em 2008, atingiu a Europa, e tornou-se numa questão econômica difícil que tem gerado altos índices de desemprego no antigo continente.

A zona do euro abrange a Bélgica, Alemanha, Estônia, Irlanda, Grécia, Espanha, França, Itália, o Chipre, Luxemburgo, Malta, os Países Baixos, a Áustria, Portugal, a Eslovênia, Eslováquia e a Finlândia. No início de 2012, a região da zona do euro registrou aumento no número do desemprego.

Em janeiro de 2012, a taxa de desemprego atingiu 10,7 % e 10,8% no mês de fevereiro, números recordes desde 1997. Os dados foram publicados pela Eurosat, empresa de estatísticas da EU (União Europeia).

Essa taxa de desemprego considerou trabalhos de idade entre 15 a 74 anos. Considerando toda a zona do euro, o desemprego atingiu o percentual de 10,2 em fevereiro, ante 10,1% registrado em janeiro de 2012. Na zona do euro o desemprego atingiu, nesse período, 17,12 milhões de pessoas. Na UE o número de desempregados atingiu 24,5 milhões de pessoas, das quais 5,4 milhões são jovens.

Além da crise econômica, a consequente diminuição de gastos por parte dos governos e da confiança dos setores privados têm sido as principais causas do aumento do número de desempregados na Europa.

As piores taxas de desemprego foram detectadas em países mais vulneráveis à crise, em primeiro lugar ficou a Espanha com 23,6%; a Grécia, 21%; Itália, 9,3%; e Chipre, 9,7%. O desemprego tem atingido menos a Áustria, Holanda, Luxemburgo e Alemanha.

Considerando o período de janeiro/fevereiro de 2011 com o de 2012, o desemprego caiu bastante na Lituânia, Letônia e Estônia. Considerando a taxa por sexo, o desemprego aumento entre os homens de 9,7% para 10,7%; e entre as mulheres de 10,3% para 11% no mesmo período de janeiro e fevereiro de 2012.

Em setembro de 2011, por exemplo, a taxa de desemprego já havia atingido 16,198 milhões de pessoas, um recorde desde 1998. Somente no mês de agosto de 2011, 188.000 trabalhadores perderam seus postos de trabalho.

Fontes:
http://diariodonordeste.globo.com/noticia.asp?codigo=337236&modulo=968&origem=ultimahora-wide
http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/reuters/2012/04/02/desemprego-na-zona-do-euro-atinge-nova-maxima-em-fevereiro.jhtm
http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/valor/2011/10/31/desemprego-na-zona-do-euro-atinge-recorde-em-setembro.jhtm