Alejo Carpentier

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Alejo Carpentier foi um notável intelectual cubano.

Nascido no dia 26 de dezembro de 1904, Alejo Carpentier era filho de um arquiteto francês que havia se mudado para a ilha de Cuba. Nascido e criado na capital Havana, o jovem Alejo chegou a iniciar os estudos de arquitetura para dar continuidade ao trabalho de seu pai. Porém desinteressou-se pela profissão, abandonando o curso e passando a exercer a profissão de jornalista.

Desde cedo, Alejo Carpentier se envolveu com questões e ideologias políticas. Aos 24 anos de idade, em 1928, foi preso por razões políticas e só conseguiu escapar porque alguns intelectuais franceses o ajudaram a fugir. Esta fuga, aliás, não só o aproximou mais ainda dos pensadores franceses, como o levou a morar na França. Vivei no Velho Mundo por mais de uma década e só regressou a Cuba em 1939. De volta ao seu país de origem, trabalhou no rádio por vários anos até se mudar novamente. Depois da França, Alejo escolheu a Venezuela para viver durante mais de uma década. Entre 1945 e 1959, viveu na América do Sul, porém um evento o fez regressar a Cuba desta vez. Em 1959, Ernesto Che Guevara e Fidel Castro lideraram um movimento que culminou com a Revolução Cubana, responsável por instalar o sistema socialista na ilha. Alejo Carpentier, que era ligado aos ideais políticos de esquerda, logo regressou à sua terra natal.

Morando em Cuba novamente, Alejo recebeu o cargo de diretor da Editora Nacional. Vive satisfatoriamente na ilha até que, em 1966, recebe a indicação para ser ministro-conselheiro da Embaixada Cubana. Embora fosse muito apegado com Cuba e partidário da Revolução que havia implantado o sistema socialista, Alejo Carpentier também tinha carinho pela França, pois seu pai era francês e foram os franceses que o ajudaram a fugir da cadeia quando tinha 24 anos. Além disso, já havia vivido no país e possuía uma relação afetiva com a França que o estimulou a aceitar o cargo e viver novamente no Velho Mundo. Lá, exerceria o cargo até falecer, no dia 24 de abril de 1980.

Alejo Carpentier produziu uma respeitável obra como novelista, ensaísta e músico cubano. Na literatura, é identificado como um autor do realismo fantástico. Suas principais obras são A Música em Cuba e O Reino deste Mundo. A primeira, na verdade, é um aprofundado estudo sobre as influências afro-europeias na música cubana. Mas a segunda realmente retrata um mundo exuberante, descomedido e legendário, impondo as características do realismo fantástico.

Fonte:

LEITE, Pedro Henrique. Alejo Carpentier: Uma América em Construção. In: Anais da XXVIII Semana de História da Universidade Federal de Juiz de Fora, 2011.

Arquivado em: Biografias