Anaxágoras

Por Emerson Santiago
Anaxágoras (Clazômenas, c. 500 a.C. – Lâmpsaco, 428 a.C. – ambos locais na Ásia Menor, atual Turquia) foi um biólogo, astrônomo, físico e matemático e filósofo pré-socrático grego. Anaxágoras é considerado um inovador dentro da evolução da filosofia, por introduzir a prática da especulação intelectual em Atenas. Suas ideias de constituição dos objetos e o processo mecânico na construção da ordem são ainda consideradas o ponto de partida no desenvolvimento da teoria atômica.

Nasceu na colônia Jônia de Clazômenas, cerca de 30 Km a oeste da atual cidade turca de Izmir, na Turquia. Mudou-se para Atenas por razões desconhecidas, onde trabalhou como professor durante cerca de trinta anos. Foi o primeiro filósofo a se instalar naquela cidade grega e fundar uma escola. Entre seus alunos, encontravam-se Péricles, Tucídides, Eurípedes e, talvez, Demócrito e Sócrates. Segundo a tradição, é ele o autor de um livro denominado Da Natureza, em prosa, do qual restam cerca de vinte fragmentos.

Depois de três décadas como professor em Atenas, foi acusado de impiedade, por sugerir que o Sol era uma massa de ferro aquecido e que a Lua era uma rocha que refletia a luz do Sol, nascida de uma porção de rocha descolada da Terra. Anaxágoras decide então se refugiar em Lâmpsaco, cidade hoje vizinha à moderna Lapseki, na Turquia, onde morre por volta de 428 a. C. Não se sabe exatamente como Anaxágoras morreu. É certo que em Lâmpsaco ele organizou uma escola que se tornou famosa, trazendo-lhe estima e consideração.

Anaxágoras era famoso por seu espírito prático, responsável por mudanças fundamentais na matemática do século V a. C., exercendo notável influência sobre a filosofia grega, além de introduzir em Atenas as concepções desenvolvidas pelos pensadores das colônias helênicas. Defendia a ideia de que, junto à matéria, existe um princípio ordenador, uma inteligência como causa do movimento, sendo por isso considerado o primeiro dualista e saudado com entusiasmo por Platão, por sua capacidade inovadora de pensar. Ele teria sido também o primeiro a explicar o fenômeno dos eclipses solares. Realizou ainda um estudo original sobre o problema do conhecimento humano. Anaxágoras separou em três estágios o conhecimento:

  1. a experiência e a sensação - a relação com o mundo desenvolve nossa sensibilidade, fazendo com que seja possível identificar as modificações dos objetos externos.
  2. a memória - o que vivenciamos através das sensações é depositado na nossa memória, definida como a nossa capacidade de conservar as experiências e os conhecimentos adquiridos.
  3. a técnica - o acúmulo de conhecimentos em nossa memória vai gerar a sabedoria, que por sua vez dá origem à técnica, que é a nossa capacidade de utilizar os conhecimentos para construir objetos e modificar a natureza.

Bibliografia:
Anaxágoras (500 - 428 a. C.). Disponível em: http://www.filosofia.com.br/historia_show.php?id=18
Anaxágoras (499 - 428 a. C.). Disponível em: http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/Anaxagor.html
Filósofo grego pré-socrático – Anaxágoras. Disponível em: http://educacao.uol.com.br/biografias/anaxagoras.jhtm