Duque de Caxias

Por Fernando Rebouças
Patrono do Exército brasileiro, nasceu no dia 25 de agosto de 1803, em Vila de Porto Estrela, atual cidade de Duque de Caxias, estado do Rio de Janeiro. Aos 15 anos de idade ingressou na Escola Militar, tornou-se alferes, e em 1821, tenente.

Em 1823, efetuou sua primeira campanha contra os revoltosos na Bahia. Dez anos depois, em 1833, casou-se com Ana Luiza de Loreto Carneiro Vianna, tendo três filhos, duas meninas e um menino.

Após ser promovido tenente-coronel, serviu no combate contra os revoltosos da Balaiada, tornou-se presidente da Província do Maranhão. Em 1941, recebeu o título nobre de barão de Caxias, em referência à cidade maranhense de Caxias, seu nome civil era Luís Alves de Lima e Silva.

D. Pedro II nomeou Caxias para chefiar a batalha contra os farroupilhas, tornando-se presidente da Província do Rio Grande do Sul. Em 1947, elegeu-se senador do Império pela Província do Rio Grande do Sul, seu pai Francisco de Lima e Silva já era senador pelo Rio de Janeiro.

Em 1852, tornou-se marquês de Caxias ao vencer tensões na fronteira Sul do Brasil contra argentinos e uruguaios. Em 1866, participou do treinamento e elaboração de estratégias do exército brasileiro na guerra do Paraguai, a grande vitória se deu na última batalha conhecida como Dezembrada, retornou ao Rio de Janeiro e foi nomeado como Duque, o único brasileiro a receber tal consideração política.

Faleceu em 7 de janeiro de 1880, em Desengano (Juparanã), estado do Rio de Janeiro. Em 1962, seu nome foi oficializado como patrono do exército.