Richard Dawkins

Por Antonio Gasparetto Junior
Richard Dawkins é um biólogo evolucionista e etólogo, um dos principais nomes do ateísmo no mundo.

Nascido no dia 26 de março de 1941, Clinton Richard Dawkins é proveniente de Nairobi, no Quênia, e filho de um agricultor do serviço colonial britânico. Aos oito anos de idade, Richard Dawkins foi morar na Inglaterra na propriedade rural que seu pai havia herdado. Desde criança ele foi acostumado com ciências naturais, pois seus pais respondiam seus questionamentos utilizando termos científicos. Sua criação foi cristã da vertente anglicana. Porém, na adolescência, Dawkins concluiu que o evolucionismo é uma explicação muito mais sensata para a complexidade da vida do que as religiões, tornando-se, então, um ateu. Após concluir seus estudos básicos, formou-se em zoologia no Balliol College, em Oxford, em 1962. Seguindo carreira como pesquisador, conquistou os títulos de Mestre e Doutor. Richard Dawkins trabalhava ao lado do pioneiro nas pesquisas sobre comportamento animal e avaliava, sobretudo, a tomada de decisão dos animais.

Morando nos Estados Unidos, Richard Dawkins foi professor da Universidade da Califórnia, onde lecionou zoologia entre 1967 e 1969. Na ocasião, o biólogo se envolveu profundamente no movimento contra a Guerra do Vietnã. No entanto, em 1970, voltou para Oxford e assumiu o cargo de professor. A partir de então sua carreira seguiria em crescente sucesso. Junto ao trabalho como professor acadêmico, Richard Dawkins se tornou editor e colaborador de várias revistas. Sua atuação profissional o rendeu diversos prêmios. Em 2004, o Balliol College, de Oxford, criou o Prêmio Dawkins para trabalhos de destaque sobre zoologia e comportamento animal. Quatro anos depois, em 2008, Richard Dawkins se aposentou de sua cátedra.

Richard Dawkins possui onze livros publicados. Alguns aspectos são bastante evidentes em suas obras. Dawkins é um biólogo evolutivo, defensor da Teoria da Evolução de Charles Darwin, um crítico do criacionismo e ateu convicto. Ele ficou famoso com o livro O Gene Egoísta, de 1976, popularizando a visão de evolução baseada nos genes. Esta questão foi ampliada com o livro O Fenótipo Estendido, de 1982. Como ateu, Richard Dawkins é Vice-Presidente da Associação Humanista Britânica e defensor do movimento bright, que foi criado em 2003 com a intenção de cunhar um termo positivo para pessoas com visão de mundo naturalista. Alguns de seus livros foram dedicados à crítica ao criacionismo, como O Relojoeiro Cego, de 1986, no qual descreve processos evolutivos para contrapor à ideia de um criador sobrenatural. Outro livro famoso sobre o tema é Deus, um Delírio, de 2006, que afirma que a fé religiosa é uma ilusão e que um criador sobrenatural muito provavelmente não existe. Entre outras obras importantes estão: A Escalada do Monte Improvável (1997), O Capelão do Diabo (2003), A Grande História da Evolução (2004) e O Maior Espetáculo da Terra (2009). Quando se aposentou, Richard Dawkins dedicou-se a um livro destinado a jovens que desvendasse os mitos anti-científicos. A obra foi publicada em 2011 com o título A Magia da Realidade – Como Sabemos o que é Verdade. Atualmente, Richard Dawkins participa de vários programas de rádio e TV, faz palestras e produz documentários para canais de televisão.

Fontes:
http://www.richarddawkins.net/
http://www.guardian.co.uk/science/dawkins
http://www.the-brights.net/index.html