Zheng He

Zheng He (1371-1435), originalmente chamado Ma He, nasceu em uma família muçulmana além das fronteiras da China (região que depois se tornaria a Província de Yunnan, no sudoeste da China) em 1371. Quando ele ainda era jovem, a Dinastia Ming (1368-1644) conquista em 1378 a sua província, e ele é levado para a capital imperial chinesa para servir como um eunuco da corte. Ali, em meio a várias disputas palacianas, Zheng He ajuda Zhu Di a conquistar o trono, e assim recebe o comando da marinha chinesa, exercendo a partir daí grande influência na corte.

Em 1402, com a ascensão do Imperador Cheng Zu da Dinastia Ming (1368-1644) ao trono, este resolve implementar um ambicioso programa de exploração e comércio marítimo. Para esta tarefa são escolhidos Zheng He e Wang Jinghong para liderar uma frota gigante que cruzará o chamado Mar Ocidental (Oceano Índico, sudeste da Ásia), levando soldados e grande quantidade de riquezas. A frota chegou aos países do Sudeste da Ásia, África Oriental e Arábia Saudita, uma façanha na história da navegação.

Entre 1405 e 1433, Zheng He vai liderar a esquadra chinesa pelo Mar Ocidental por sete vezes. Sua frota, que variava de 40 a 63 navios de dimensões gigantescas por viagem, chega às ilhas Ryukyu (atualmente pertencentes ao Japão), Filipinas e Maluku indo além do Canal de Moçambique e atingindo as costas da África do Sul, desenvolvendo o comércio mútuo e troca de tecnologias com esses territórios. A poderosa frota viajou pelo Oceano Índico surpreendendo dos navegadores árabes aos mercadores de Veneza, transitando entre Ormuz e Aden e influenciando a ciência da navegação na Europa. As viagens de Zheng He precedem em 87 anos as de Colombo, 93 anos as de Vasco da Gama, e 116 anos as de Magalhães. Há ainda uma teoria, sem confirmação plena, de que Zheng He teria chegado até mesmo ao litoral do Brasil, realizando trocas com os indígenas locais.

Ao retornar de suas explorações, subordinados de Zheng He escreveram relatos como por exemplo "Notas das Viagens aos Países Estrangeiros", ou ainda "Corografia dos Países Ocidentais", etc, relatando as condições geográficas e naturais, os costumes locais, bem como a produção, economia e a vida naquelas regiões, ampliando a visão e os conhecimentos da população chinesa sobre o exterior. Zheng He falece em 1435 com a idade de 65 anos, sendo que, após suas explorações, os monarcas posteriores passaram a enxergar as viagens de exploração como uma empreitada cara e um desperdício, privando a China ironicamente de ter a primazia na era das explorações que logo se aproximava, promovida por portugueses e espanhóis.

Bibliografia:
 Zheng He (em inglês). Disponível em <http://www.chinaculture.org/gb/en_aboutchina/2003-09/24/content_22644.htm>. Acesso em: 11 nov. 2011.

Arquivado em: Biografias