Biomas aquáticos

Mestre em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais (UFAC, 2015)
Graduada em Ciências Biológicas (UFAC, 2011)

Os biomas aquáticos são classificados em dois principais grupos: o marinho e o de água doce. O marinho corresponde aos mares e oceanos e o de água doce corresponde aos lagos, lagoas e rios. Os biomas de água doce podem ser de águas lênticas ou paradas (lagos e lagoas) e de águas lóticas ou em movimento (rios).

Oceanos e mares

Foto: Rich Carey / Shutterstock.com

Foto: Rich Carey / Shutterstock.com

O ambiente marinho ocupa cerca de 71% da superfície terrestre, suas partes mais profundas atingem quase 11.000 metros. Nesse ambiente se distinguem dois domínios: o bentônico, que corresponde ao fundo do mar, onde se encontram organismos bentônicos que se fixam ou se deslocam no substrato, e o pelágico, que compreende a massa de água, onde predominam organismos que nadam ativamente.

Quanto à penetração de luz, o ambiente marinho possui três regiões distintas: zona eufótica – região mais superficial que recebe maior quantidade de luz solar; zona disfótica – região pouco iluminada; zona afótica – iluminação totalmente ausente.

Existem três categorias de comunidades marinhas:

  • Plâncton – organismos que têm um deslocamento passivo pela água, sendo arrastados pelas correntes marinhas. Divide-se em fitoplâncton, que são os seres autotróficos (algas), e zooplâncton (heterotrófico), representado por protozoários, pequenos crustáceos e larvas de diversos animais como moluscos e peixes;
  • Nécton – seres que nadam livremente pelos mares e oceanos, como os polvos, tartarugas, peixes e mamíferos aquáticos;
  • Bentos – organismos que vivem fixos ao substrato ou dependem dele para sobreviver, representados por algas, corais, esponjas, estrelas-do-mar, peixes e outros.

No bioma Marinho Costeiro encontram-se importantes ecossistemas como o manguezal, recifes de corais e estuários.

Lagos e lagoas

Foto: Elena Elisseeva / Shutterstock.com

Foto: Elena Elisseeva / Shutterstock.com

Os lagos são mais profundos e com maiores extensões que as lagoas. Esses ambientes apresentam três zonas principais, que possuem características e organismos diferentes:

  • Zona litorânea – região junto à margem, em contato direto com o ambiente terrestre. Nessa região são encontradas várias plantas aquáticas enraizadas ou flutuantes. Animais como peixes, moluscos, artrópodes e anfíbios habitam essa área;
  • Zona limnética – região que vai até onde a luz chega. Suas comunidades são o plâncton (bactérias, algas e zooplâncton) e o nécton (peixes). Diferente da zona litorânea onde a fotossíntese é realizada por plantas, nessa região ela é realizada pelas algas.
  • Zona profunda – região onde não há penetração de luz, por isso é totalmente dependente da matéria orgânica produzida na região litorânea e limnética. Nessa região estão presentes os organismos bentônicos, principalmente bactérias e fungos decompositores.

Importante destacar que nas lagoas a zona litorânea é relativamente grande e as regiões limnética e profunda são pequenas ou ausentes.

Rios

Foto: skvcet / Shutterstock.com

Foto: skvcet / Shutterstock.com

Os rios são caracterizados por possuírem um fluxo unidirecional, no qual a água sempre corre para as regiões mais baixas. Os cursos de água possuem três condições principais que os diferenciam dos lagos. A primeira diz respeito à corrente, que atua como fator limitante e estabelece diferenças entre as partes de um curso de água. A outra condição é a interface terra-água. Os rios estão intimamente associados como o ambiente terrestre em seu entorno, e dependem dele para obtenção da maior parte de sua energia básica. Em geral, os organismos produtores são insuficientes para suportar a quantidade de consumidores existentes nos rios. Por último, a quantidade de oxigênio costuma ser abundante e pouco variável nos rios, em virtude da pouca profundidade e do movimento constante da água.

O plâncton é pouco importante nos cursos de água, estando presente apenas nas partes de corrente mais fraca. As algas presentes nesses ambientes são fixas a um substrato (pedras, monte de folhas).

Referências
Odum ,E. P. Fundamentos de Ecologia. 6ª ed. São Paulo: Fundação Calouste Gulbenkian , 2004 .
http://educacao.uol.com.br/disciplinas/ciencias/biomas-aquaticos-caracteristicas-dos-lagos-rios-e-mares.htm

Arquivado em: Biologia, Geografia