Cubozoários

São atraídos pela sua beleza e temidos pelo seu veneno. Cubozoários são “águas-vivas” com um sino cúbico, corpo transparente e incolor; seus tentáculos são altamente venenosos. A espécie Chironex fleckeri é conhecida como vespa do mar.

São animais do filo Cnidaria e da classe Cubozoa, possui aproximadamente 20 espécies e apenas 4 registradas em costas brasileiras. Geralmente habitam mares tropicais e temperados, predominantemente no Oceano Pacifico, na Grande Barreira de Recifes da Austrália. São considerados bons nadadores, chegam até 30 cm de comprimento (sino, ou o corpo do animal) e 2 metros de tentáculos, sendo um dos animais mais venenosos do mundo.

Sua morfologia é composta por uma umbrela em forma cúbica ou quadrática não recortada (daí o nome cubozoários); os tentáculos (chamados de pedálios) são inseridos em projeções da umbrela.  Estes animais apresentam uma estrutura chamada de ropálio, que é equivalente aos olhos - algumas espécies podem apresentar mais de 20 ropálios, que são unidos por um anel nervoso no pólipo. Cada grupo de ropálios pode ter dois tipos de estruturas: uma no qual possuem fossas que detectam a luz (muito semelhante aos outros cnidários) e olhos parecidos com olhos humanos extremamente complexos, dotados de lente, retina e córnea.

Geralmente são solitários, mas sua reprodução é sexuada, sem estrobilização. O macho libera o espermatozoides por meio de um tentáculo, no ventre da fêmea. Então ela produz ovos que são liberados no mar. Os ovos tornam-se plânulas e depois pólipos. Cada pólipo produz uma única medusa por metamorfose completa. Na fase inicial o pólipo que origina a medusa chega a 1 mm de altura, solitário e séssil, a partir daí eles germinam novos pólipos, que se desprendem e se movem lentamente.

A alimentação se inicia no tentáculo quando a presa é segurada pela cnidas, que injetam enzimas proteolíticas na presa. Quando os cubozoários levam a presa para seu interior, começa a digestão através de proteases que digerem até que a presa se torne uma mistura de sucos e fragmentos.

Acidentes com estes animais são extremamente graves, pois o veneno tem poder de matar 60 pessoas adultas em 3 minutos. Os sintomas podem variar, como por exemplo: dermatite, aparição de herpes, náuseas, vômitos convulsivos, pressão arterial extremamente alta, erupções, edemas, etc.

Existem algumas formas de amenizar os efeitos do veneno: lavar com água do mar para retirar os tentáculos aderidos; para desativar os nematocistos é indicado o uso de amoníaco ou bicarbonato diluído que são encontrados no vinagre e na urina; colocar algo muito frio ajuda aliviar a dor. Deve-se evitar esfregar ou colocar gelo no local afetado, bem como lavar com água doce ou álcool.

Fonte:
RUPPERT, E.E., FOX, R.S. & BARNES, R.D. 2005. Zoologia dos Invertebrados. 7ª ed., Ed. Roca, São Paulo, 1145
MORANDINI, André C. et al . Cubozoa e Scyphozoa (Cnidaria: Medusozoa) de águas costeiras do Brasil. Iheringia, Sér. Zool.,  Porto Alegre ,  v. 95, n. 3, Sept.  2005
http://biomeio.blogspot.com.br/2011/05/cubozoa.html
http://www.infopedia.pt/$cubozoarios
http://www.ufpe.br/gpa/images/documentos/ToxinasAnimais/cnidaria%20venenos.ppt
http://www.santoangelo.uri.br/~briseidy/ZOOLOGIA%20I/Filo%20Cnidaria/Classe%20Cubozoa.ppt
http://www.santoangelo.uri.br/~briseidy/ZOOLOGIA%20I/Filo%20Cnidaria/Classe%20Cubozoa%20e%20Scyphozoa%20compara%E7%E3o.pdf
http://www.mesa.edu.au/cnidaria/cnidaria02.asp

Arquivado em: Cnidários