Insetos

Quando pensa-se em insetos (classe Insecta, filo dos Artrópodes), efeitos negativos ao ser humanos vem à mente como a transmissão de doenças e destruição de plantações. Porém, as ligações direta ou indireta desse grupo com os seres humanos são bem maiores que isso. Eles podem trazer muitos efeitos positivos, pois nos fornecem alimentos, consumem materiais em decomposição melhorando o solo, ajudam na polinização das plantas e distribuição de sementes, podem ser usados para controle de pragas, tem alguns compostos usados em medicamentos, foram fontes de inspiração para projetos de engenharia e ajudaram no progresso de estudos como a genética.

Insetos. Foto: Protasov AN / Shutterstock.com

Desenvolvimento

Os insetos passam por processos de maturação, para saírem do estado larval para adulto, o que pode acontecer de diferentes formas. Os insetos ametábolos chegam a fase adulta com poucas mudanças estruturais, os hemimetábolos passam pelas mudanças de forma gradual pelo estado de ninfa para o adulto, os holometábolos têm mudanças radicais do estado larval para o adulto.

Estrutura corporal

O corpo dos insetos é divido em cabeça, tórax e abdômen, é revestido por um exoesqueleto forte e protegido pela cutícula de quitina, que diminui consideravelmente a perda água e é responsável pela distribuição de cor dos insetos devido a interação com a luz.

Na cabeça estão localizados os olhos compostos, alguns possuem adicionalmente ocelos que captam a presença ou ausência de luz, as peças bucais e as antenas. As peças bucais podem variar devido o tipo de alimentação (lamber, sugar, morder, perfurar), mas são compostas basicamente por mandíbulas e maxilas que são responsáveis pela trituração dos alimentos, a hipofaringe que é o canal de liberação da saliva, os palpos e os lábios que tem função sensorial. As antenas são pares e móveis e possuem inúmeros minúsculos pelos chamados de sensilas que auxiliam na recepção de estímulos do meio.

Os três pares de patas articuladas dos insetos estão localizados no tórax, assim como as aberturas, usadas para a troca gasosa pelo sistema traqueal, conhecidas como espiráculos torácicos e as asas. Os segmentos das pernas variam em tamanho de acordo com as funções de cada inseto (andar, correr, saltadores, nadadores, coletores e cavadores). Elas geralmente têm espinhos nos segmentos do meio e garras no último segmento. As asas existem nos adultos e podem ser transparentes como nas moscas ou com pequenas escamas como nas borboletas, porém todas tem as mesmas nervuras básicas variando de tamanho e número entre os grupos.

Sistema reprodutor

O abdômen possui os órgãos genitais dos insetos, os espiráculos abdominais. O órgão dos machos é externo para a introdução dos espermatozoides dentro da fêmea, que possui uma bolsa dentro dela para guarda-los, o ovopositor.

Sistemática

São oito as ordens mais conhecidas na classe dos insetos.

  1. A ordem Odonata é representada pelas libélulas (as asas têm o mesmo tamanho, mas não se dobram sobre o corpo e o abdômen é fino e comprido).
  2. Orthoptera é formado pelas baratas, grilos e gafanhotos (as asas de baixo são maiores que as asas de cima e há espinhos nas patas traseiras).
  3. Hemiptera são os percevejos como a Maria-fedida e o transmissor da doença de Chagas, Triatoma infestans (a base das asas é mais grossa e a ponta é membranosa e fina).
  4. Homoptera são os pulgões (o bico sugador tem a base na parte mais abaixo na cabeça).
  5. Coleoptera são os besouros (as asas de cima são grossas e duras como carapaça).
  6. Lepidoptera é formado pelas borboletas e mariposas (suas asas não se dobram sobre o corpo, têm escamas e a da frente é maior que a de trás).
  7. Diptera são as moscas (tem só um par de asas).
  8. Hymenoptera são as vespas, abelhas e formigas (grupo diverso com animais sociais ou solitários, podem ter asas ou não, suas asas tem as veias fechadas formando células, alguns animais tem o aparelho bucal mordedor e outros sugador).

Referências:

Gullan & Cranston, Os insetos: um resumo de entomologia, 3 edição, 2007

http://www.sfu.ca/~fankbone/biol/insecta.html

Arquivado em: Artrópodes, Insetos