Ribossomo

Os ribossomos são grânulos sem membrana constituídos por moléculas de RNA associadas a proteínas, presentes em todos os tipos celulares e visíveis apenas ao microscópio eletrônico. São formados por duas subunidades de tamanhos e densidades diferentes, sendo chamadas de maior e menor.

Medem cerca de 30 nm de diâmetro, sendo os ribossomos dos procariontes e os presentes nas mitocôndrias menores (aproximadamente 20 nm de diâmetro) e menos complexos que os ribossomos encontrados no citosol dos eucariontes. Os maiores ribossomos são encontrados nos mamíferos.

Os ribossomos são responsáveis pela síntese das proteínas através da união de seus aminoácidos. Esta síntese é controlada pelo RNAm (RNA mensageiro) formado na transcrição gênica, sob comando do DNA. O RNAm, associado a um grupo de ribossomos denominados polirribossomos, orienta a sequência dos aminoácidos que formarão as proteínas. Estes aminoácidos são trazidos pelo RNAt (RNA transportador) e vão sendo encaixados de acordo com a sequência determinada pelo RNAm. À medida que os polirribossomos vão percorrendo a fita do RNAm, as proteínas vão sendo sintetizadas.

Podem estar aderidos à membrana do retículo endoplasmático (formando o chamado retículo endoplasmático rugoso) ou estar livres no citoplasma. Os ribossomos aderidos às membranas produzem proteínas para o interior das bolsas do retículo endoplasmático, que serão exportadas da célula por meio de secreções ou utilizadas na composição das membranas celulares. Os ribossomos livres no citoplasma sintetizam tanto as proteínas que serão utilizadas no próprio citosol, como é o caso de diversas enzimas, como as proteínas que migram para o núcleo ou outras organelas como as mitocôndrias.

Algumas células, como as embrionárias, são pobres em retículo endoplasmático rugoso e ricas em ribossomos livres no citosol. Já no processo de diferenciação celular o retículo endoplasmático rugoso ganha destaque e passa a tomar grande espaço do volume celular.

Referência:

AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues. Biologia das Células 1. 4ª edição. São Paulo: Editora Moderna, 2015.

Arquivado em: Citologia