Fosfatase Alcalina

Por Débora Carvalho Meldau
A fosfatase alcalina (FA) é definida como uma hidrolase, ou seja, uma enzima que possui capacidade de retirar grupos de fosfato de uma distinta gama de moléculas, abrangendo nucleotídeos, proteínas e alcalóides. Como indica o próprio nome, esta enzima é mais ativa em soluções alcalinas. A desfosforilação é o processo de retirada desses grupos fosfatos. A FA é sintetizada por diferentes órgãos e tecidos, como, por exemplo, os ossos, fígado e placenta.

A aferição do nível de FA tornou-se uma ferramenta extremamente útil nos laboratórios de biologia molecular. Este procedimento é realizado, especialmente, na extração dos grupos fosfatos encontrados na extremidade 5’ das moléculas de DNA, o que interrompe a conexão dessa extremidade com outras moléculas de DNA. A FA também é amplamente utilizada no procedimento de marcação radioativa. A extração desses fosfatos possibilita a troca desses por grupos radioativos, permitindo a posterior identificação dessas moléculas.

O exame que evidencia a alteração da FA é feito utilizando uma amostra de sangue puncionado do braço do paciente. O resultado desse exame irá mostrar se existe alguma doença óssea, nas quais ocorre diminuição da atividade das células ósseas, bem como patologias hepáticas.

As concentrações de FA elevam-se em situações de aumento da atividade das células ósseas, como, por exemplo, durante o crescimento ou após uma fratura no tecido em questão, e também, como consequência de afecções ósseas, como osteomalácia, neoplasias ósseas e doença de Paget.

Os valores normais de FA, nas diferentes unidades, são:

  • 1,5 a 4,0 unidades Bodanske;
  • 3,0 a 13 unidades King Armstrong;
  • 1,0 a 2,5 unidades Besses.

Os valores de FA encontram-se reduzidos em casos de hipotireoidismo, escorbuto, cretinismo e acondroplasia. Contrariamente, os níveis dessa enzima encontram-se elevados em casos de afecções renais (raquitismo renal), doenças metabólicas ósseas, afecções ósseas, afecções hepáticas, septicemia, colite ulcerosa, tireotoxicose, hiperparatireoidismo, má absorção, infarto agudo do miocárdio, infarto pulmonar e infarto renal.

Existem alguns fármacos que podem alterar os valores de FA quando utilizados. Dentre eles encontram-se a vitamina D, acetaminofen, cefataxime, fluorceina, magnésio, alopurinol, ácido amino salicílico, andrógenos, anticonvulsivantes, barbitúricos, bromocriptina, captopril, ciclosporina, carbamazepina, cefalosporina, gentamicina, eritromicina e tetraciclina.

Fontes:
http://boasaude.uol.com.br/lib/showdoc.cfm?LibCatID=1&Search=ictericia&CurrentPage=0&LibDocID=4320
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fosfatase_alcalina
http://www.laboratoriogenesi.com.br/artigos/Informe%20Cient%EDfico%20-%20Fosfatase%20alcalina.pdf
http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/reumato/fosfatase_2006_universo/fosfatase_2006_universo.htm
Ilustração: http://www.vet.uga.edu/VPP/clerk/raymond/index.php