Doença cardíaca congênita

Por Fernando Rebouças
A cardiopatia congênita é referida como uma anormalidade da estrutura e da função cardíacas que desenvolvida durante a gestação. É uma doença que agrupa uma série de anormalidades no coração e que está presente ao nascimento, considerando que os seus efeitos não são identificados imediatamente.

Conhecida também como DCC, pode levar anos para se manifestar provocando lesões mínimas no caso de uma coarctação da aorta. Dentre as lesões pequenas podemos citar o defeito do septo ventricular, um tipo de lesão que modifica o dia a dia comum do cardiopata e nem o proíbe de praticar atividades físicas.

A cardiopatia coronária gera lesões mais prevalentes, capaz de causar a morte de crianças com menos de um ano de idade. Considerando as causas de morte em crianças menores de um ano de idade, as anormalidades congênitas estão entre as principais causas.

As anormalidades cardíacas graves não corrigíveis, na maioria dos casos não permitem uma sobrevida com mais que alguns meses de vida. Depois do primeiro ano, pode haver uma queda considerável nas mortes por doença congênita do coração. Mas, depois do décimo quarto ano de vida , as mortes causadas por doenças cardíacas tendem a crescer em decorrência de outras causas diferentes das anormalidades cardíacas congênitas, ou seja, o coração pode desenvolver novos tipos de cardiopatia.

Dentre as doenças cardíacas congênitas, há dois tipos:

  • Doenças que apresentam cianose (coloração azul decorrente de pouco oxigênio no coração);
  • Doenças que não apresentam cianose;

Lista de alguns exemplos de lesões cardíacas congênitas:

Cianóticas:

  • tetralogia de Fallot
  • transposição dos grandes vasos
  • atresia tricúspide
  • retorno venoso anômalo total
  • tronco arterial
  • coração esquerdo hipoplásico

Não-cianóticas:

  • DSV (defeito do septo ventricular)
  • DAS (defeito do septo atrial)
  • DAP (ducto arterioso persistente)
  • estenose aórtica
  • estenose pulmonar
  • Coarctação da aorta

A sigla DSV refere-se ao defeito cardíaco congênito diagnosticado na maioria dos casos clínicos, o DSV exige uma observação três vezes mais cuidadosa do que os demais casos de cardiopatia.

Os casos de DCC ocorrem como uma lesão isolada não associada a outras doenças da criança. Sabe-se que a cardiopatia congênita é decorrente de diversos problemas relacionados síndromes genéticas ou cromossômicas. Tais normalidades, durante a gestação, podem ser causadas pela ingestão de drogas, substâncias químicas, uso de álcool, ocorrência de infecção na gestação e rubéola fetal.

Fontes:
http://adam.sertaoggi.com.br/encyclopedia/ency/article/001114.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cardiopatia_congênita

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.