Epistemologia de Kuhn

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

O termo epistemologia se refere ao estudo sobre a produção do conhecimento. Quando se menciona, no entanto, a epistemologia das ciências, se está abordando os pensadores que se preocuparam em investigar como se constrói um conhecimento de natureza científica. Dentre eles, merece importante destaque Lakatos.

Thomas Kuhn nasceu em 1922 em Ohio, e fez doutorado em Harward, onde mais tarde também lecionou. Logo mudou seu interesse da Física para a Filosofia da Ciência. Morreu em 1996. Entre seus conceitos principais, pode-se citar o paradigma, a ciência normal, a revolução científica e a incomensurabilidade.

Buscar-se-á propor um breve resumo sobre os principais conceitos em Kuhn, através dos itens abaixo:

  • Inicialmente, pode-se mencionar a impossibilidade de discutir a epistemologia sem citar o nome de Kuhn.
  • Em um determinado momento, denominado por Kuhn de pré-ciência, cada um faz o que bem entende. Mas para se ter uma ciência estruturada, esta tem de possuir um único paradigma.
  • No entanto, um único paradigma possui espaço para vários programas de pesquisa.
  • Um paradigma nada mais é do que uma forma de se fazer ciência, quando se está referindo-se à ciência normal.
  • Um paradigma pode gerar crises, quando começa a ter problemas no enfrentamento de dados observacionais ou experimentais.
  • Uma revolução científica é uma mudança de paradigma, a qual irá produzir uma nova ciência normal.
  • Uma crítica ao pensamento de Kuhn está no fato de que poucas são de fato as revoluções na história das ciências. Na maioria das vezes a ciência evolui mais por evolução do que por revolução.
  • Conceitos incomensuráveis não são incompatíveis, mas apresentam uma linguagem distinta.
  • Kuhn chama problemas clássicos de problemas exemplares. Determinados assuntos não apresentam a necessidade de descobrimento, ou seja, são clássicos.
  • O progresso científico, de acordo com Kuhn, apresenta sempre um caráter revolucionário. Concentra-se na substituição de uma estrutura teórica por outra incomensurável.
  • Um paradigma sempre é constituído de pressupostos teóricos e de uma determinada forma de aplicação destes.
  • No entanto, para ser considerada ciência madura, esta tem de ser constituída por um único paradigma.
  • O paradigma coordena e dirige um fato na resolução de problemas.
  • Um paradigma pode apresentar respostas e possuir algumas anomalias, sem a necessidade imediata de abandoná-lo.
  • A ciência, de acordo com Kuhn, apresenta também um critério de demarcação: a existência de um único paradigma capaz de apoiar a tradição da ciência normal. Este paradigma deve estar sempre ligado a embasamentos experimentais.

Referências:
MOREIRA, Marco Antônio; MASSONI, Neusa Teresinha; Epistemologias do Século XX, EPU, São Paulo, 2011.

Arquivado em: Ciências