Evolução da Antropologia

Por Caroline Faria
A Antropologia é a ciência que estuda o homem, sua evolução biológica ou física, cultural e social. Embora tenha sido consolidada como disciplina científica apenas no século XIX, suas raízes encontram-se alguns séculos antes com a “descoberta” de outros povos pelos descobridores e desbravadores. Assim, podemos dividir a história, ou evolução, da Antropologia de acordo com os seguintes períodos:

* Dos séculos XVI-XIX deu-se o período da “Literatura Etnográfica” quando predominaram os relatos sobre viagens onde eram mencionadas as características dos povos “descobertos” constituindo uma descrição de sua língua, raça, religião. As descrições eram feitas geralmente por missionários, viajantes, exploradores, etc. As características físicas e sociais de povos diferentes eram tratadas em conjunto nas teorias sobre “raças”;

* No fim do século XIX surge o “Evolucionismo Social” também chamado de “Racismo Científico” (por inserir o conceito de raça superior ou inferior) ou “Darwinismo Social”. É desenvolvido o conceito de que as sociedades evoluem de um estado mais “primitivo” para outro mais “civilizado”, porém é nesse período que sai de cena o conceito de “raça” substituído pelo de “cultura”;

* Ainda no século XIX surge a “Escola Sociológica Francesa” onde são definidas as regras do método sociológico (Émile Durkheim) e conceitos como a busca pelo “Fato Social Total”, as representações coletivas, etc.;

* No início do século XX o estudo das características sociais e culturais dos povos ganhou o nome de “Antropologia Social” na Inglaterra, “Antropologia Cultural” nos EUA e “Etnologia” na França, chegando ao patamar de disciplina científica autônoma.

* Na década de 20, é a vez da corrente teórica do “Funcionalismo” segundo a qual os valores sociais e culturais devem ser compreendidos. É nesta fase que predomina a ênfase no trabalho de campo;

* Na década de 30 predomina o “Culturalismo Norte-Americano” onde há a ênfase na identificação de padrões culturais (estilos de cultura);

* Nos anos 40, surge o “Estruturalismo” (do qual fez parte Lévi-Strauss) com a distinção entre natureza e cultura, os princípios da organização da mente, etc.;

* Nos anos 60, temos a “Antropologia Interpretativa” com profunda inspiração hermenêutica e desenvolvimento da interpretação antropológica;

* E, por fim, nos anos 80, a “Antropologia Pós-Moderna” ou “Crítica” com a “politização” da relação “observador-observado” e a crítica dos paradigmas teóricos.

Fontes
http://www.antropologia.com.br
http://www.fflch.usp.br
http://educaterra.terra.com.br