A Vida é Bela

Por Tiago Soriano
– Buongiorno principessa! Nesta comovente e apaixonante história, Roberto Benigni consegue aliar encanto e beleza em um dos momentos mais cruéis da humanidade: a Segunda Guerra Mundial.

Após chegar à cidade de Toscânia, na Itália, Guido (Roberto Benigni) passa a viver situações embaraçosas as quais consegue sair ileso quase sempre em todas elas, até ao momento em que vê cair do alto o amor de sua vida, Dora (Nicoletta Braschi). A cada encontro inesperado, Guido procura de todas as maneiras conquistar o coração de sua principessa Dora, já comprometido com outro homem. Mas com muita alegria e perseverança, Guido conquista sua principessa e com ela tem um filho: Giosué. E juntos eles seriam felizes para sempre... até que... tudo muda!

Filho de judeus, Guido é mandado para o campo de concentração nazista, juntamente com seu pai e filho. Dora ao saber da notícia, mesmo não sendo judia, pede aos generais que também a conduza ao campo de concentração. A partir de então Guido usa a imaginação e a criatividade como armas para fazer seu filho acreditar que tudo não passa de uma grande brincadeira e que a cada tarefa realizada, mais pontos eles ganharão para conquistar o tão desejado prêmio: um tanque de verdade! Giosué custa a acreditar, mas aos poucos começa a cair na brincadeira e a participar efetivamente.

Enquanto isso, na ala das mulheres, Dora sente o coração oprimido pela realidade da guerra. Seu coração de mãe e esposa parece ver minguar as esperanças de reencontrar sua família.

Mas Guido não desiste, e assim como conquistou o coração de Dora, tenta agora conquistar a liberdade de sua família, em especial, a de seu filho. A cada ponto somado, Giosué obedece as orientações de seu pai, que corre contra o tempo para salvar seus familiares.

Com a guerra chegando ao seu término, a tensão aumenta e ainda que com pouca chance de saírem vivos, Guido se esforça e não deixa de lado, em nenhum momento, seus principais aliados: a imaginação e a alegria.

Lançado em 1998, A vida é bela ganhou diversos prêmios, entre eles 3 Oscar: melhor filme estrangeiro (o filme brasileiro Central do Brasil também concorreu nesta categoria); melhor ator (Roberto Benigni) e melhor trilha sonora drama, cuja autoria é de Nicola Piovani.

A trilha sonora de A vida é bela é de uma sensibilidade artística e musical incomparáveis. Poucos são os artistas que conseguem atingir tal grau de sensibilidade. A trilha sonora encaixa-se perfeitamente ao roteiro e ao desenrolar do filme, e parece até certo ponto substituir as falas dos personagens, algo muito difícil de ver na maioria dos filmes.

Roberto Benigni nos surpreende tanto quanto diretor quanto ator, sua atuação é magistral. Além de emocionar o público nos momentos dramáticos, Benigni tem a habilidade de emocioná-los nas situações cômicas.

Em um mundo em que muitos lutam para conquistar territórios, este filme é uma prova de que a esperança, o amor, a família, a alegria e a imaginação são capazes de superar todas as dificuldades e conquistar tudo o que sonhamos – eis porque a vida é bela!

Fontes:
A VIDA é bela. Direção: Roberto Benigni. Produção: Estúdio Melampo Cinematográfica, 1997. 1 DVD (116 min), NTSC, colorido.
http://www.adorocinema.com/filmes/filme-64439/
http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Vida_%C3%89_Bela