Estruturalismo (linguística)

Por Fernando Rebouças
Estruturalismo é uma teoria lingüística que abrange a antropologia, a história, literatura e a psicanálise. Os cursos ministrados por Ferdinand de Saussure, falecido em 1913, são considerados como fundadores dos métodos de lingüística.

A língua é conceituada como um sistema organizado de signos que expressam idéias no aspecto codificado da linguagem. O objetivo da lingüística é estudar as regras desse sistema e seus sentidos produzidos.

A linguagem só pode ser analisada quando segmentada, no ato de descobrir as “nuances” que fazem a língua acontecer e ter significado. Segundo Saussure, “Podemos conceber uma ciência que estude a vida dos signos no interior da vida social(...) a semiologia. Ela nos diria em que consistem os signos, que leis os regem”.

A palavra semiologia advém do grego “semeion”, que significa “signo”. Roland Barthes, falecido em 1980, publicou na revista Communications em 1964, uma definição para semiologia : “ A semiologia tem por objeto todo o sistema de signos, qualquer que seja sua substância, quaisquer que seja seus limites : as imagens, os gestos, os sons melódicos, os objetos e os complexos dessas substâncias que encontramos em ritos, protocolos ou espetáculos constituem, se não ‘linguagem’, ao menos sistemas de significação”.

No discurso da mídia é importante a noção de significante-significado e denotação-conotação. O signo da palavra é perceptível e audível (significante) e na outra estrutura há a tradução, o significado.