Anacronismo

O anacronismo é uma incoerência cronológica em alguma disposição, especialmente uma justaposição de pessoas, eventos, objetos, ou costumes a partir de diferentes períodos de tempo. Muitas vezes o item extraviado no tempo é um objeto, mas pode ser uma expressão verbal, uma tecnologia, uma ideia filosófica, um estilo musical, um material, um costume, ou qualquer outra coisa associada a um período específico no tempo, de modo que é incorreto para colocá-lo fora do seu domínio temporal adequado.

O uso intencional de artefatos culturais, muitas vezes obsoletos, pode ser considerado anacrônico. Por exemplo, pode ser considerado anacrônico para uma pessoa moderna usar um chapéu alto, escrever com uma pena, ou ter uma conversa em latim. Tais escolhas podem refletir uma excentricidade, ou mesmo uma preferência estética.

Existe também o metacronismo, que é qualquer coisa que aparece em um período de tempo em que não é normalmente encontrado (embora não tanto para sua aparição ser impossível). Este pode ser um objeto, uma expressão idiomática, uma tecnologia, uma ideia filosófica, um estilo musical, um material, um costume, ou qualquer outra coisa suficientemente ligada a um determinado período de tempo a ponto de parecer estranho quando encontrado em épocas mais atuais. Eles podem ser objetos ou idéias que antes eram comuns, mas agora são considerados raros ou até mesmo impróprios. Eles podem tomar a forma de tecnologia obsoleta ou moda ultrapassada. Exemplos de metacronismo podem incluir uma dona de casa por volta de 1960 usando uma tábua de lavar para a lavanderia (bem depois de máquinas de lavar roupa terem se tornado comuns).

Essa ideia difere do procronismo, na qual o objeto, ou ideia, ainda não foi inventada quando uma situação ocorre e, portanto, não poderia ter existido na época. Um procronismo ocorre quando um item aparece em um contexto temporal em que ainda não pode estar presente (o objeto ainda não havia sido desenvolvido, a expressão verbal não tinha sido inventada, a filosofia não tinha sido formulada, a raça do animal não tinha sido descoberta, a tecnologia ainda não tinha sido criada). Um exemplo é a colocação de armas de fogo da mais modernas em filmes de faroeste, que não tinham sido criadas até 1870, como o protagonista de muitos desses filmes, o rifle Winchester 1873. Muitos procronismos são criados de forma propositalmente cômica, como muito fez o grupo de comédia Monty Python.

O anacronismo é usado especialmente em obras de ficção que têm uma base histórica. Os anacronismos podem ser introduzidos em muitas maneiras: por exemplo, no desrespeito dos diferentes modos de vida e de pensamento que caracterizam diferentes períodos, ou na ignorância do progresso das artes e das ciências e outros fatos da história. Eles variam de inconsistências gritantes a deturpação quase imperceptível. Só a partir de o fim do século XVIII que esse tipo de desvio da realidade histórica foi recebida pela audiência em geral. Os anacronismos são bastante recorrentes nas obras de Rafael Sanzio e Shakespeare, bem como nas de pintores menos célebres e dramaturgos de épocas anteriores.

A comédia de ficção ambientada no passado pode usar o anacronismo para efeito humorístico. Um dos primeiros grandes filmes a usar anacronismo foi "As Três Idades", de Buster Keaton, que incluiu a invenção do beisebol na Idade da Pedra, e problemas de trânsito na Roma Antiga.

O Banzé no Oeste, de Mel Brooks, lançado em 1974, situado no Velho Oeste em 1874, contém muitos anacronismos flagrantes da década de 1970, incluindo um elegante traje Gucci para o xerife, um automóvel, uma cena no teatro chinês de Grauman, frequentes referências a Hedy Lamarr (nascido em 1914).

Ultimamente, o progresso da pesquisa arqueológica e o maior desenvolvimento científico levaram o público e os artistas a verem anacronismo como uma ofensa ou até mesmo como ignorância da produção. Muitas vezes produções teatrais mas modernas muitas vezes dependem de anacronismo para efeitos em particular. Como os diretores das peças de Shakespeare poderem usar figurinos e adereços não presentes na época do autor, ou até da própria peça, mas de qualquer época entre ou mesmo aqueles de um futuro imaginado.

Fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Anachronism
http://www.academia.edu/877475/Sins_of_a_Historian._Perspectives_to_the_Problem_of_Anachronism