Bafômetro

É conhecido pelo nome de bafômetro o aparelho que permite medir a concentração de bebida alcoólica em uma pessoa, por meio da análise do ar exalado dos pulmões. O bafômetro é resultado de experiências iniciadas na década de 40 com dispositivos para análise de álcool no organismo humano, para uso pela polícia. Em 1954, o Dr. Robert Borkenstein da polícia do estado de Indiana inventou o primeiro bafômetro, o tipo de dispositivo de testagem de álcool usado ainda hoje.

O conceito fundamental por trás do funcionamento do dispositivo está na ideia de que o álcool que toda pessoa ingere aparece no hálito porque é absorvido pela boca, garganta, estômago e intestinos, e é absorvido pela corrente sanguínea. Apesar de ser absorvido, o álcool não é digerido após a absorção e nem sofre modificações químicas no sangue. Ao passar pelos pulmões, o sangue deixa parte do álcool nas membranas dos alvéolos (pequenos sacos de ar dos pulmões). A concentração de álcool no ar alveolar é proporcional à concentração de álcool no sangue, e à medida que o álcool do ar alveolar é exalado, pode ser detectado pelo bafômetro.

A praticidade do aparelho está exatamente neste aspecto, por evitar a necessidade de se tirar sangue do motorista para testar seu nível de álcool. A medida de álcool presente no ar alveolar é equivalente à quantidade de álcool no sangue, e assim, basta colher o ar presente nos pulmões do motorista, em outras palavras, seu "bafo".

O bafômetro, por sua vez, funciona a partir de um sensor que mede os efeitos provocados pelos resíduos do álcool etílico no hálito do indivíduo. O sensor é formado por um material cuja condutividade elétrica é influenciada pelas substâncias químicas que se aderem à sua superfície. A condutividade elétrica do sensor do bafômetro diminui quando a substância é o oxigênio e aumenta quando se trata de álcool. A matéria-prima na fabricação dos sensores dos bafômetros são geralmente polímeros condutores ou filmes de óxidos cerâmicos, como óxido de estanho (SnO2), depositados sobre um substrato isolante.

A questão do uso do bafômetro pela polícia brasileira é ainda hoje objeto de bastante polêmica, pois muitas vezes surgiu o argumento de que o aparelho somente não era suficiente para atestar a embriaguez no trânsito. Contra este argumento o Superior Tribunal de Justiça publicou recentemente, a 4 de setembro de 2012, o acórdão do Recurso Especial (REsp) repetitivo 1.111.566, que firmou a tese de que só o teste do bafômetro ou o exame de sangue para verificação de dosagem alcoólica podem comprovar o crime de embriaguez ao volante. Assim, outros meios de prova, como exame clínico ou testemunhas não servem para atestar o grau de embriaguez fixado na Lei 11.705 de 2008 (a chamada Lei Seca). A decisão serve como orientação no julgamento de casos idênticos em outras instâncias da justiça.

Bibliografia:
HAMANN, Renan. Como funciona o bafômetro? Disponível em: <http://www.tecmundo.com.br/infografico/23251-como-funciona-o-bafometro-infografico-.htm>. Acesso em: 28 nov. 2012.
FREUDENRICH, Craig. Como funcionam os bafômetros. Disponível em: <http://ciencia.hsw.uol.com.br/bafometros2.htm>. Acesso em: 28 nov. 2012.
Decisão. Disponível em: <http://www.stj.gov.br/portal_stj/publicacao/engine.wsp?tmp.area=398&tmp.texto=106876>. Acesso em: 28 nov. 2012.

Arquivado em: Curiosidades, Tecnologia