Bistrô

Por Ana Lucia Santana
O Bistrô é um restaurante ou bar de pequeno porte, de procedência francesa, muito comum neste país. Ele é singelo, mas bem confortável. Nele os clientes podem consumir bebidas alcoólicas, cafés, entre outros drinks, além de pratos modestos a baixo custo. Esta expressão foi criada em 1815, em um contexto ainda controvertido.

Algumas histórias afirmam que os militares russos, ao invadir a capital francesa, clamavam “bistrô! bistrô!” ao atacarem os cafés parisienses; isto se deve à presença do termo ‘bystro’, que tem o sentido de ‘rápido, rápido’, no vocabulário da Rússia. Outras lendas dão conta de que os franceses residentes na região norte idealizaram este termo.

O mais provável, porém, é que esta palavra definia os donos de pequenos estabelecimentos comerciais de vinho; depois, ela se estendeu à própria loja. Seja como for, é um recanto que promove, antes de tudo, a interação entre os frequentadores, mais até que o bom atendimento.

Durante a Segunda Guerra Mundial os bistrôs se desenvolveram, pois enquanto os maridos iam para o front, as esposas normalmente tinham que conquistar uma forma de obter uma renda para sobreviver. Assim, elas transformavam suas residências em estabelecimentos públicos especializados no comércio de comida caseira.

Atualmente qualquer restaurante menor influenciado pela atmosfera francesa é popularmente associado à ideia de um bistrô. Esta denominação é particularmente usada pelos mais cultos, os quais preferem dizer que vão a um local assim intitulado do que a um mero estabelecimento especializado em servir refeições.

Esta casa tem uma particularidade que certamente a define; não há um menu fixo, pois o chefe de cozinha adota o hábito de combinar com o consumidor que prato será servido, conforme o gosto deste, o que transforma este recanto em um ponto singular e radicalmente pessoal.

A cozinha de um bistrô exige de seus funcionários uma boa dose de talento e não demanda muitos utensílios. Sua filosofia reside na prática de extrair muitos benefícios de cada substância que compõe as receitas dos pratos aí preparados, de forma a não impor ao cliente gastos em demasia.

Nos bistrôs, o proprietário geralmente comanda pessoalmente tudo que ocorre nas cozinhas e nas salas de recepção aos clientes. Há, portanto, toda uma implicação intimista na relação com o consumidor. Não é suficiente, porém, como muitos pensam, um menu requintado, incluindo diversas iguarias francesas, para se constituir um estabelecimento como este. Criar um ambiente com atmosfera descontraída e informal é um elemento essencial, ao contrário da fama que esta modalidade comercial ganhou entre muitos brasileiros, de um lugar requintado e sofisticado.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bistrô
http://www.parana-online.com.br/canal/gastronomia/news/152304/?noticia=BISTRO+E+ASSIM