Desastre de Hillsborough

O desastre de Hillsborough foi incidente que ocorreu em 15 de abril 1989, no Estádio de Hillsborough, em Sheffield (Inglaterra), que causou a morte de 96 pessoas. É reconhecido como a maior tragédia do esporte Inglês.

No fim dos anos 1980 e ainda no começo dos anos 1990, a Inglaterra vivia o máximo do pesadelo do hooliganismo, com inúmeros registros de invasões de campo e violência antes e depois das partidas. Um dos acontecimentos grandes incidentes envolvendo os hooligans, antes de Hillsborough, foi o Desastre de Heysel, que aconteceu após a final da Liga dos Campeões da Europa de 1985, entre Juventus (da Itália) e Liverpool, no estádio de Heysel, na Bélgica. Naquele dia, 39 torcedores, grande parte deles da torcida da Juventus, morreram esmagados contra o muro, após um tumulto iniciado pelos fãs do Liverpool. Como punição ao ocorrido, os clubes ingleses foram banidos de competições europeias por cinco anos.

O Estádio de Hillsborough era um dos poucos na Inglaterra considerados seguros o suficiente para receber jogos de grande importância, sendo um local muito usado para jogos decisivos da Copa da Inglaterra na década de 1980, tendo sediado um total de cinco semifinais. O estádio já havia tido alguns incidentes anteriores, que renderam dezenas de feridos. Por causa disso, o projeto já havia sido modificado algumas vezes, diminuindo as áreas das arquibancadas, para permitir mais fluidez no fluxo de pessoas.. Sendo um dos maiores estádios do país, foi escolhido pela Football Association para sediar a semi final da Copa da Inglaterra de 1989. A partida foi marcada para as quinze horas do dia 15 de abril.

Os torcedores do Liverpool foram colocados na Leppings Lane, à esquerda da arquibancada principal, que continha 14.600 lugares, deixando os fãs do Nottingham Forest o canto oposto, o Spion Kop End, com 21 mil assentos. Milhares de fãs dos Liverpool invadiram Sheffield, numa atmosfera festiva, típica de um dia de jogo de Copa da Inglaterra, dedicados a apoiar os jogadores do time. além da notável rivalidade entre os dois lados, os jogos da competição tinha recebido mais importância com a suspensão das equipes inglesas das competições continentais após a tragédia de Heysel.

A parte na qual a torcida do Liverpool ficou alocada continha apenas 6 entradas, contra mais de 60 na área reservada à torcida do Nottingham Forest. Pouco antes do jogo iniciar, com os jogadores já em campo, milhares de torcedores do Liverpool ainda lutavam para passar pelas catracas e adentrar ao estádio. Temendo que o enorme fluxo de torcedores pudesse causar um incidente, a polícia decidiu abrir passagens usadas para a saída da torcida, que não tinham catracas. A ideia foi catastrófica: um fluxo de milhares de torcedores através de um túnel estreito na parte traseira do campo, e para as já superlotadas duas divisões centrais, causou uma queda enorme na frente do campo, onde as pessoas estavam sendo pressionadas contra as grades pelo peso da multidão atrás deles. Muitas pessoas ficaram prensadas contra as paredes dos corredores de acesso, formando um funil mortal.

Apesar desses eventos estarem a acontecer, autoridades não foram informadas, e a partida começou normalmente, e por algum tempo o problema não foi percebido por ninguém além dos afetados, já a atenção da maioria das pessoas estava no jogo. Aos 3 minutos da partida, o árbitro foi avisado pela polícia, suspendendo o jogo depois de os torcedores começarem a subir a cerca para escapar do esmagamento. Sem entender muito bem o quê estava acontecendo, a polícia que estava dentro do estádio, lutava contra os torcedores para impedir que eles entrassem no campo.

A situação ficou ainda mais complicada para os torcedores que, por um lado, eram foram esmagados pela multidão que vinha do lado de fora e, por outro, sendo impedidos pela polícia de pular para o gramado, deixando-os sem possibilidade alguma de uma rota de fuga. Só depois de alguns minutos que a polícia percebeu a verdadeira razão para a invasão e abriu as grades deixando os torcedores do Liverpool entrarem no campo. No meio da multidão, 96 pessoas tinham perdido as suas vidas, com mais de mais de 200 feridos.

Imediatamente após o massacre, a Câmara dos Lordes deu ao senhor Peter Taylor a responsabilidade de investigar as causas do desastre. Ele procurou estabelecer as causas da tragédia, e fazer recomendações sobre a disposição da segurança em eventos esportivos no futuro. O relatório propôs que todos os estádios principais fossem convertidos num novo modelo de assentos, onde todos os espectadores tivessem seus bilhetes associados ao assento. Logo, o futebol na Inglaterra se adequou à essa recomendação.

Um ano após ter sido publicado, o relatório oficial do governo sobre acontecimentos culpava os torcedores do Liverpool e aos seus abusos no álcool e na violência, atitudes de hooligans típicos. Durante muitoz anos, os torcedores do clube protestaram e rejeitaram totalmente esse relatório. Em 2009, um novo documento elaborado por um grupo independente, rejeitando essas conclusões, afirmando que o primeiro relatório teria sido manipulado pelo governo para desviar as culpas dos policiais para os torcedores.

Como registro, a partida foi realizada novamente em 7 de maio no Old Trafford, em Manchester, com vitória do Liverpool, que viria a se sagrar vencedor da competição mais tarde.

Fontes:
http://news.bbc.co.uk/2/hi/uk/7992845.stm
http://en.wikipedia.org/wiki/Hillsborough_disaster

Arquivado em: Curiosidades