Escrita na China

Por Emerson Santiago
Apesar de ser vista popularmente como uma unidade, cultural e socialmente sem diversidade, a China é um país que reúne uma diversidade incrível de povos, culturas, línguas, e consequentemente, de escritas.

O exemplo inicial de tal diversidade está nas cédulas de yuan. O observador mais atento perceberá que nela, ao canto direito superior de todas as cédulas, está inscrita a frase "Banco do Povo da China 10 (ou 50, ou 100, etc) yuan" em 4 línguas e sistemas de escritas diferentes: de cima para baixo, da esquerda para a direita, temos a mesma frase em mongol, tibetano, uigur e zhuang.

- escrita mongol: os mongóis estão presentes no atual território chinês, em especial na província conhecida como Mongólia interior, que faz fronteira exatamente com a Nação Mongol (nome oficial do país independente). Sua escrita é derivada do velho alfabeto uigur, extinta no século XIX. Trata-se de um alfabeto e é geralmente grafada verticalmente, de cima para baixo, da esquerda para a direita. Curiosamente, é na China que a escrita mongol costuma ser mais utilizada, apesar de ali também estar ameaçada de desuso. Já na Mongólia, o idioma é escrito preferencialmente em alfabeto cirílico, o mesmo utilizado na língua russa.

- escrita tibetana: a escrita tibetana é um abugida, derivada das escritas hindus, onde cada símbolo corresponde a uma sílaba (consoante mais vogal), e uma simples modificação, adição ou subtração de traço vai mudar o som da vogal. Seu sistema é de fato o mesmo de todas as escritas hindus, e um conhecedor de alguma destas escritas tende a dominar facilmente o sistema tibetano, que é utilizado ainda para escrever a língua dzongka, língua do vizinho Butão, que é bastante similar ao tibetano.

- escrita uigur: povo de origem turca, habitante do noroeste da China (província de Xinjiang), os uigures são muçulmanos e adotam a escrita árabe adaptada à língua local. Assim, muitos símbolos da escrita árabe serão modificados ou adaptados para se adaptar aos sons do idioma uigur.

- escrita zhuang: o povo zhuang (leia-se diúáng) tem origem tailandesa, e sua língua é mais semelhante às línguas da Tailândia do que as línguas da China. Apesar disso, é uma língua tonal, como a chinesa, onde a palavra desejada deve ser pronunciada com o acento no lugar correto para um perfeito entendimento. Desde a década de 50 a língua zhuang utiliza uma forma adaptada do alfabeto latino. Anteriormente, esta língua utilizava uma escrita denominada "sawndip" ou "sawndej", uma derivação bastante complexa dos caracteres chineses, que eram grafados de maneira composta, onde geralmente o lado esquerdo do caractere indicava o significado e o lado direito, a pronúncia a seguir.

- escrita manchu: atualmentte quase extinta, a língua manchu sobrevive através de linguagens derivadas desta, como a língua xibe, utilizada pelo mesmo povo. Sua escrita é derivada da escrita mongol, com pequenas modificações, sendo lida de cima para baixo e da esquerda para a direita.

escrita hanzi: é a escrita dos caracteres, utilizada pelos povos habitantes da chamada "China propriamente dita" ou China histórica", que corresponde ao sudeste do atual país. É nesta área que está concentrada a etnia han, a predominante na China. Nascida por volta do século V a.C., inicialmente cada caractere equivalia a um significado próprio. Com a evolução da escrita e da própria língua, necessitou-se de dois ou mais caracteres para formar várias palavras novas no vocabulário da língua chinesa. Hoje em dia, a grande maioria das palavras são formadas por um ou dois caracteres combinados. A escrita também é utilizada nos vários dialetos chineses, como o cantonês, jin, wu, min, hakka, entre outros, onde funciona com praticamente os mesmos caracteres para a mesma palavra, diferindo apenas a pronúncia de dialeto para dialeto. A escrita chinesa migrou ainda para o Japão, Coreia e Vietnã, sendo que nos dois últimos, deixou de ser usada ainda na primeira metade do século XX. No Japão, atualmente, seu uso vem sendo gradualmente limitado, em favor das escritas auxiliares hiragana e katakana. Ao longo da história, surgiram também derivados da escrita chinesa, como o nu shu, jurchen, tangut, entre outros.

Apesar de tal diversidade, ainda exercem bastante influência entre as escritas praticadas na china a escrita latina e a cirílica, que muitas vezes são preferidas em detrimento dos sistemas locais.

Bibliografia:
Zhuang (em inglês). Disponível em <http://www.omniglot.com/writing/zhuang.htm>. Acesso em: 01 out. 2011.

Manchu alphabet (em inglês). Disponível em <http://www.omniglot.com/writing/manchu.htm>. Acesso em: 01 out. 2011.

Tibetan (em inglês). Disponível em <http://www.omniglot.com/writing/tibetan.htm>. Acesso em: 01 out. 2011.

Uyghur (em inglês). Disponível em <http://www.omniglot.com/writing/uyghur.htm>. Acesso em: 01 out. 2011.

Chinese script and language (em inglês). Disponível em <http://www.omniglot.com/writing/chinese.htm>. Acesso em: 01 out. 2011.