Fanzine

A palavra ‘fanzine’ nasceu da redução fônica da expressão fanatic magazine. Ela provém da combinação do final do vocábulo ‘magazine’, que tem o sentido de ‘revista’, com o início de ‘fanatic’. Trata-se de um veículo editado por um fã, seja de graphic novels, obras de ficção científica, ou de poemas, músicas, filmes, vídeo-games, entre outras temáticas incorporadas por estas publicações.

Enfim, são elaboradas por admiradores de certo assunto para pessoas que compartilham a mesma paixão. Eles podem ser peritos neste campo ou simples entusiastas. As publicações mais profissionais são conhecidas como ‘prozines’. Em um ou em outro os temas podem ser enfocados sob diversas formas: contos, poemas, documentários, quadrinhos, entre outros.

O fanzine é uma edição sem qualquer pretensão, de vez em quando um pouco mais refinada na composição gráfica, condicionada apenas aos recursos financeiros de seu editor. Normalmente, porém, é publicada segundo parâmetros empíricos. A maior parte dos fanzines é produzida e consumida por um público mais jovem, mas também está presente entre pessoas de todas as idades.

Embora a juventude hoje domine o campo dos fanzines, os originais, elaborados na Europa, foram compostos por adultos, particularmente na França e em Portugal. Eles eram devotados principalmente às graphic novels. Apareceram primeiro em 1929, nos Estados Unidos.

Os fanzines foram muito disseminados no continente europeu, em especial na França, ao longo das revoltas de 1968. Ao contrário do que se crê eles não tiveram sua origem entre os punks, apesar destes militantes utilizarem largamente estas publicações em prol de seus ideais.

Estas tribos difundiram de tal forma os fanzines que hoje estes veículos são reproduzidos de forma bem barata. Em nosso país eles se transformaram nas ferramentas de comunicação mais utilizadas por anarquistas e adeptos do movimento punk.

Aqui a palavra fanzine se tornou sinônimo de qualquer publicação livre, apesar da tentativa de se diferenciar um veículo do outro. O primeiro zine a ser publicado no Brasil foi ‘O Cobra’, manifesto do Órgão Interno da 1.ª Convenção Brasileira de Ficção Científica, que teve palco em São Paulo, de 12 a 18 de setembro de 1965.

O primeiro fanzine a enfocar o tema das histórias em quadrinhos foi o ‘Ficção’, Boletim do Intercâmbio Ciência-Ficção Alex Raymond, estruturado por Edson Rontani no dia 12 de outubro de 1965, no município de Piracicaba, em São Paulo. Nesta capital, centro da eclosão do cenário rock and roll e underground, quando esse panorama fervilhava na metrópole, na década de 80, apareceram os primeiros fanzines compostos em estilo eclético, entre eles o Ekletik.

Fontes:
http://fanzineexpo.wordpress.com/o-que-e-fanzine/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fanzine

Arquivado em: Curiosidades