Foice e o martelo - símbolos do comunismo

Por Emerson Santiago
A foice e o martelo fazem parte do conjunto de ícones que identificam todo movimento simpatizante do pensamento socialista/comunista, situadas mais à esquerda do espectro político. Um dos mais importantes ícones do século XX, a foice e o martelo figuraram em várias bandeiras, símbolos e brasões por todo o globo. Ao lado da estrela vermelha, é a principal representação gráfica das ideias defendidas por Marx, Engels e Lênin. Ali se faz presente a essência da ideologia comunista, com o proletariado da classe trabalhadora sendo representado pelo martelo e o camponês das áreas rurais, pela foice (antes, no lugar da foice usou-se o arado, mas como o desenho sempre acabava confundido com a foice, esta ficou como a representação dos trabalhadores do campo).

Tal ícone já tinha uma história na heráldica provincial e surgiu inicialmente por volta de 1917 na propaganda bolchevique em meio ao caos que tomava conta do Império Russo. É a partir de um concurso de artistas reunidos por Lênin e Lunacharshy (responsável pela cultura e educação na recém instalada União Soviética) que a foice e o martelo são oficialmente adotados pela primeira vez como símbolos de um país. Na bandeira soviética, este vinha acompanhado da estrela de cor vermelha, que simbolizava a transformação pelas mãos do povo, sob um simples campo em vermelho, cor adotada pelos revolucionários e metáfora para o renascimento da nação. Além disso, durante o curso da revolução e da guerra civil, a cor tornou-se comemorativa do sangue quetinha sido derramado pelos mártires de 1905 e 1917. No selo (brasão) da nova nação se faz novamente representada a foice e o martelo, agora em destaque, pairando sobre o mundo,significando o internacionalismo da ideologia comunista.

Ao longo do tempo os símbolos adotam vários significados. O martelo tornou-se mais comumente associados com a foice homens e tornou-se associado com as mulheres. Junto com sua associação com o homem, o martelo também veio para representar a indústria, máquina, da cidade de potência, e no futuro. Correspondentemente, a foice significava a agricultura, o atraso rural, nutrição e fertilidade. Estas associações foram muitas vezes úteis para o encorajamento da igualdade e da importância de homens e mulheres na sociedade e para o sucesso da revolução. A foice e o martelo substituíram todos os símbolos do regime czarista, aparecendo em todos os documentos do estado, moeda, mídia e bandeiras. Além disso, a frase "O martelo e a foice" foiigualmente importante para a sua contraparte visual, e se tornou um nome popular para fábricas, comunas, escolas e outras instituições da sociedade.

É importante salientar que o movimento socialista internacional, surgido na segunda metade do século XIX, apesar de partilhar muito de sua doutrina com os comunistas, e em algumas situações adotarem os seus símbolos, na verdade, possuem um ícone próprio que os identificam no mundo inteiro, que é o do punho segurando uma rosa (como é exemplo o símbolo do PDT, Partido Democrata Trabalhista, membro da Internacional Socialista).

Bibliografia:
WHARTON, Christopher. The Hammer and Sickle: The Role of Symbolism and Rituals in the Russian Revolution. Disponível em <http://www.westminstercollege.edu/myriad/index.cfm?parent=2514&detail=4475&content=4797>. Acesso em: 02 fev. 2012.