Ginoide

Ginoide é um fembot, um robô humanoide feminino, com características anatômicas femininas. Os ginoides foram projetados para imitar a aparência e por vezes o comportamento das mulheres. O termo foi criado pela escritora britânica Gwyneth Jones.

Por volta de 600 a.C., lendas sobre estátuas falantes feitas de bronze ou barro, que criavam vida, começaram a surgir em obras de autores clássicos como Homero, Platão, Píndaro, Tácito e Plínio. No Livro 18 da Ilíada, Hefesto, o deus de todas as artes mecânicas, tinha o auxílio de duas estátuas moventes femininas, feitas de ouro, preenchidas com mentes e sabedorias. Outra lenda mostra Hefesto, sob ordens de Zeus, criando a primeira mulher (Pandora) a partir do barro. Variações sobre este tema recorrente de amor e criação artificial aparecem no conto gótico de E.T.A. Hoffmann, Der Sandmann (1817), no balé Coppélia (1870) de Léo Delibes e em diversos filmes e livros de ficção científica.

Inventores começaram a considerar essas máquinas para propósitos mais realísticos, ainda que estéticos, desde a época da Renascença. Em 1540, o inventor italiano Gianello Torriano de Cremona construiu ginoides para a diversão de Carlos V, incluindo uma garota em tamanho natural dedilhando um alaúde. A garota podia caminhar em linha reta ou em círculo e inclinar a cabeça. Ela ainda existe, e está exposta no Kunsthistorisches Museum em Viena.

O filósofo francês René Descartes teria viajado com uma acompanhante artificial feminina denominada Francine, durante os anos 1640. O austríaco Friedrich von Knauss criou uma boneca, capaz de escrever até 107 palavras em 1760. Por volta de 1773, os irmãos Jaquet-Droz, na França, desenvolveram uma série de marionetes mecânicas realísticas, entre as quais se inclui uma musicista de 16 anos. Ela tocava piano movendo os dedos sobre as teclas apropriadas, e foi desenhada para simular respiração, bem como movia a cabeça para os lados e curvava-se ao fim de cada apresentação.

Os irmãos Maillardet teriam criado a Philadelphia Doll ou Green Lady, em 1812, uma boneca que era capaz de escrever em inglês e francês e desenhar paisagens. No ano de 1823, Johann Nepomuk Mälzel fabricou uma boneca que podia dizer os verbetes "Ma-ma" e "Pa-pa". Por volta do ano de 1891, baseado na ideia de Maelzel, Thomas Edison levou esta ideia a frente patenteando uma "Boneca Falante", para fazer publicidade do fonógrafo inventado por ele.

Com a Revolução Industrial e o desenvolvimento da cibernética (particularmente após a II Guerra Mundial), ideias mais complexas sobre robôs e androides surgiram. Antes as ginoides haviam desempenhado tarefas rotineiras e mundanas, mas após ideias mais complexas serem desenvolvidas, criou-se também a necessidade de desenvolver uma ginoide totalmente independente. Há protótipos, como Repliee R1 (lembrando uma garotinha) e suas sucessoras, Repliee Q1 e Repliee Q2.

Desde os anos 1980 ginoides têm se tornado um produto básico em mangás e animês japoneses, onde sua aparência humana é comumente utilizada como um elemento da trama.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ginoide
http://en.wikipedia.org/wiki/Gynoid
http://www.urbandictionary.com/define.php?term=gynoid

Arquivado em: Curiosidades