História da Biblioteconomia

Nascido na Índia no dia nove de agosto de 1892, Shiyali Ramamrita Ranganathan foi um importante bibliotecário e matemático que introduziu a biblioteconomia em seu país. No ano de 1913 ele termina a graduação em Matemática na Universidade de Madras. Então começa a lecionar e se mantém como professor durante sete anos dando aulas em algumas universidades de Madras. Além de ser um estudioso, Ranganathan também exerceu atividades políticas. Tomou partido pela melhora das condições de trabalho e era preocupado com o desenvolvimento de pesquisas e melhorias no ensino da Índia.

Preocupado com a qualidade de ensino oferecida aos alunos, Shiyali Ramamrita Ranganathan iniciou uma campanha por melhorias na biblioteca da Universidade de Madras. No ano de 1924, a mesma universidade abre vaga para bibliotecário, uma das exigências para assumir o cargo era de que o candidato tivesse formação em Biblioteconomia na Grã-Bretanha. Então Ranganathan inicia estudos na College University de Londres e se especializa em Biblioteconomia.

Enquanto frequentava as aulas na College University, teve a oportunidade de conhecer professores como W. C. Berwick Sayers, segundo ele, a biblioteconomia era “uma área que possui uma peculiaridade, a da criação; o que aprendemos na universidade e nos livros são somente os princípios”. Sayers passa a ser o orientador de Ranganathan, dando-lhe um primeiro conselho para que fizesse contato com diversos profissionais e começasse a visitar uma grande quantidade de bibliotecas. Decidido a ser um grande bibliotecário, Ranganathan frequenta mais de 100 tipos de bibliotecas e adquire novos conhecimentos sobre a área.

Em retorno para a Índia, Ranganathan começa a dar aulas de biblioteconomia, lecionando por quarenta anos em diversas universidades indianas. Em 1928, ele idealiza as Cinco Leis da Biblioteconomia:

  1. Os livros são para usar.
  2. A cada leitor seu livro.
  3. A cada livro seu leitor.
  4. Poupe o tempo do leitor.
  5. A biblioteca é um organismo em crescimento.

Além da criação das Cinco Leis da Biblioteconomia, as três contribuições mais importantes que o estudioso indiano deu ao ramo foram:

  • criação e introdução de três níveis distintos para os classificacionistas e classificadores: o plano da idéia, o plano verbal e o plano notacional
  • introdução da abordagem analítico-sintética para identificar assuntos
  • estabelecimento de dezoito diretrizes que são consideradas instrumentos para avaliar sistemas de classificação.

Shiyali Ramamrita Ranganathan acaba falecendo no dia 27 de setembro do ano de 1972 na sua casa em Bangalire.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Shiyali_Ramamrita_Ranganathan
http://www.briquetdelemos.com.br/biblioteconomia/cinco-leis-da-biblioteconomia-as.html

Arquivado em: Curiosidades