História da Força Aérea Brasileira

As origens da Força Aérea Brasileira (FAB) encontram-se ainda em 1908, com o desenvolvimento da aerostação militar, centro destinado a abrigar balões de reconhecimento. Isso acabou não ocorrendo porque o primeiro voo de um balão militar no Brasil terminou com a morte de seu tripulante, o Tenente Juventino da Fonseca, o que desencorajou os militares a continuarem com o projeto.

Os primeiros voos em aeronaves são de 1910, e o país ainda não tinha qualquer infraestrutura para organizar e registrar os primeiros aviadores. Assim, nossos primeiros pilotos tinham que obter seus brevês na França.

A 14 de outubro de 1911 é criado o Aero-Club Brasileiro, com a participação tanto de civis como militares, que tinha como objetivo fundamental arrecadar fundos para a compra de material relacionado com o ensino da pilotagem, além de aviões para utilização do exército, que ainda eram poucos, distribuídos entre Marinha e Exército. As duas forças tinham sob sua responsabilidade as operações de aviação (que mais tarde delegadas a uma ramificação em particular das forças militares, a FAB).

Na década de 30, o Correio Aéreo Nacional começará a ter destaque, pelo fato de conseguir ligar um país de grandes dimensões e de áreas ainda bastante inóspitas, de difícil comunicação, em especial nas suas regiões norte e centro-oeste.

Em 1941 será criado o ministério da Aeronáutica, sob o qual estão subordinadas as Forças Aéreas Nacionais, entidade que em alguns meses terá seu nome mudado para FAB - agora, o Brasil tinha três forças militares constituídas: Exército, Marinha e Força Aérea. A FAB nascia com 430 aviões de 35 modelos diferentes, mas que eram considerados à época todos obsoletos. Um acordo de empréstimo e arrendamento com os EUA permitiu ao país obter modernos caças da marca Curtiss.

Logo após, no final de 1942, o Brasil entra na segunda guerra mundial. Participam da composição da FEB (Força Expedicionária Brasileira) unidades do exército e da recém criada força aérea. Estas unidades foram designadas para a luta na tomada da Itália, incorporadas a duas divisões do exército norte-americano. A participação da força aérea brasileira, sob o lema de "Senta a Pua!", é até hoje um dos capítulos de maior destaque da aviação nacional.

Após a campanha de destaque na guerra, a aviação como força militar cresce através dos anos. Em 1969 é criada a Embraer, em meio à política de substituição de importações fomentada pelo governo. A Embraer iria trabalhar em conjunto com a FAB em inúmeros projetos através dos anos, até sua privatização em 1994.

Bibliografia:
DA CUNHA, Rudnei Dias. História da Força Aérea Brasileira. Disponível em <http://www.rudnei.cunha.nom.br/FAB/index.html>. Acesso em: 21 mar. 2012.

Arquivado em: Curiosidades