Sendero Luminoso

Grupo de guerrilha peruano criado durante os anos 60, o Sendero Luminoso tem inspiração maoísta e foi formado por um grupo de intelectuais, entre eles, Abimael Guzmán, que lecionava filosofia na Universidade de Ayacucho. Em português, o significado do nome do partido é “Caminho Iluminado”, título colocado para diferenciá-lo de outros partidos comunistas da época. O nome completo da facção é Partido Comunista do Peru - Sendero Luminoso (PCP-SL).

A definição dos princípios e forma de ação do Sendero Luminoso ocorreu nos anos 70, com autoria de Guzmán. O principal intuito do grupo é acabar com as instituições capitalistas e burguesas do Peru por meio de uma revolução comunista liderada pelos camponeses. Nos anos 60, durante a presidência de Fernando Belaúnde Terry, o Sendero ficou bastante conhecido por atacar propriedades rurais sem qualquer aviso anterior. Sua base para o recrutamento de novos membros são as camadas mais baixas da população peruana: os filhos dos camponeses e índios que não conseguiram adaptar-se às cidades desenvolvidas.

Ao lado das FARC, Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, o Sendero Luminoso é considerado um dos maiores grupos de guerrilha organizado da América do Sul. No período em que o Peru era comandado por um regime militar, o partido aumentou a sua atuação e iniciou a construção de uma comunidade independente que se localiza nas montanhas. Com suas ações repercutidas  em outros países, outros grupos foram fortemente influenciados. Um deles é o Partido Comunista do Nepal, que também é de inspiração maoísta.

Ao final dos anos 70, o Sendero Luminoso parte da guerrilha no campo para os ataques em ambiente urbano. Já na década de 80, época em que o regime militar terminava no Peru, o partido começa a boicotar seções eleitorais e aumenta suas ações violentas, chegando a fazer um esboço do que seria uma grande revolução no país. Ainda nos anos 80, o grupo expande seu número de participantes e aumenta suas áreas de ocupação, que agregavam o Sul e a região central peruana, além da área suburbana de Lima.

Porém, no início dos anos 90, o líder Guzmán foi capturado. Após enfraquecimento do Sendero, outras lideranças começam a ser presas até o ano de 1995. Naquele período, as ações do partido começam a ficar cada vez mais raras. Um dos últimos grandes atentados do grupo foi um ataque à bomba que ocorreu na embaixada dos EUA em Lima. Nesse ataque, 10 pessoas perderam a vida e 30 ficaram feridas.

Fontes:
AZEVEDO, Antonio Carlos do Amaral. Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sendero_Luminoso
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/10/guerrilha-do-sendero-luminoso-queima-3-helicopteros-no-peru.html

Arquivado em: Curiosidades