Anime

Por Ana Lucia Santana
O anime é um estilo de animação cultivado pelos japoneses, que tradicionalmente têm criado histórias em quadrinhos há pelo menos 300 anos. No Japão e no Ocidente ele tem conotações distintas. No país asiático ele se refere a toda espécie de desenho animado, enquanto no Ocidente esta arte se restringe à produção japonesa.

Os japoneses não importaram o anime e o mangá, como alegam alguns, do mundo ocidental, apesar de terem se inspirado em algumas características desenvolvidas no Ocidente. Sua principal fonte de inspiração foi provavelmente a arte chinesa. Seu estilo básico, porém, nasceu no próprio Japão – com os traços singelos e as características estilizadas.

O termo ‘anime’ provém ou da língua inglesa – do vocábulo animation, com o sentido de animação – ou do idioma francês – da palavra animée, que significa animado. A animação não é propriamente um gênero cinematográfico, mas um recurso convertido pelos japoneses em filmes classificados como comédia, terror, drama, entre outros.

anime

Alguns dos animes produzidos no Japão correspondem, graficamente, ao mangá, quadrinhos criados pelos japoneses. Esta expressão significa, nesta língua, ‘figuras irresponsáveis’, uma referência ao senso de humor e ao tom espirituoso de suas histórias. Muitas vezes, inapropriadamente, esta palavra é utilizada para intitular os animes veiculados no mercado externo.

Os personagens que povoam os animes e os mangás se distinguem de outros por terem olhos de grandes dimensões, perfeitamente traçados, circulares ou rasgados, repletos de brilho, algumas vezes dotados de cores berrantes. Desta forma eles ganham contornos emocionais mais intensos.

Esta modalidade de animação procura atender todos os estilos pessoais, narrando todas as histórias possíveis. Eles não são direcionados apenas para o público infantil, mas também para adolescentes e adultos. E até mesmo os animes infanto-juvenis são bem mais elaborados do que os norte-americanos, abordando inclusive temas como a morte, geralmente não enfocados nas produções dos Estados Unidos.

Outros cenários eleitos pelos animes japoneses são os relativos ao universo profissional e à esfera tecnológica, que avança com uma velocidade estonteante, e entre os japoneses é cultuada, pois eles preferem ver seus benefícios a priorizar as críticas ao seu inevitável domínio do mundo contemporâneo, o lado que a transforma em vilã no Ocidente.

Os desenhistas que compõem os animes são providos de um estilo pessoal, inconfundível e intransferível. Eles têm em comum o fato de privilegiarem olhos muito grandes e cabelos bem compridos em seus caracteres, mas diversificam as demais qualidades destes personagens.

Alguns dos artistas mais conhecidos são Miyazaki, que adota linhas ágeis e redondas, e Matsumoto, que prefere criar personagens de formato quadrado, nada belos, muito estranhos. Aliás, não necessariamente as figuras que desfilam nos animes devem seguir algum tipo de beleza padrão, como no mundo ocidental; e outra diferença diz respeito ao figurino, muito rico e elaborado, pois as personagens das animações japonesas diversificam muito suas roupas, exibindo desde as mais coloquiais até as mais elegantes.

Exemplos de Animes de sucesso são o Pokémon, Dragon Ball Z, Naruto, entre tantos outros.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Anime
http://www.animesdistro.com/anime.htm