Amenorreia

Por Fernando Rebouças
Amenorreia é um sintoma caracterizado pela ausência de menstruação, em níveis primários e secundários. A primária é definida pela ausência da menarca (primeira menstruação) e , a secundária, pela ausência de menstruação durante três ciclos seguidos ou por seis meses em mulheres que apresentavam ciclo normal.

Em ambos os níveis, é uma doença que precisa de avaliação e acompanhamento médico. No caso de mulheres que já menstruavam normalmente, é aconselhável não aguardar três meses para iniciar o tratamento. Em grande parte dos casos, as mulheres já procuram a orientação médica nos primeiros dias.

A investigação médica é similar nos casos de atraso menstrual ou de amenorreia secundária. Nas mulheres de vida sexual ativa e reprodutiva, a gravidez é uma das principais causas da ausência de  menstruação.

Outras causas podem ser: uso de medicação, stress, tumores no sistema nervoso e excesso de exercício físico. No caso do exercício físico, há caso de atletas femininas que apresentam amenorreia.

Outras causas também estão relacionadas à menopausa precoce, desvio hormonais e por intermédio da Síndrome de Ovários Policísticos.

Dentre os métodos de tratamento, há o acompanhamento psicológico, reposição hormonal e indução da ovulação para propiciar a gravidez. Na avaliação médica, são prescritos exames de avaliação hormonal, ultrassonografia e tomografias cerebrais.

Em casos da menstruação não ocorrer no mês, há a possibilidade do ciclo se restaurar no mês seguinte. A ausência da menstruação pode ser causada por:

  • Perda ou ganho excessivo de peso;
  • Distúrbios alimentares;
  • Aumento da intensidade dos exercícios (p.ex.: atletas em fase de preparação para competições);
  • Estresse emocional intenso;
  • Uso de medicamentos como anticoncepcionais e drogas;
  • Problemas em órgãos pélvicos;
  • Período de aleitamento;
  • Síndrome do Intestino Irritável, Tuberculose, Diabetes e algumas doenças do fígado podem causar interrupção do ciclo menstrual;

As amenorréias também podem ser classificadas como:

  • Fisiológicas (pré-menarca, gestação, puerpério, lactação e pós-menopausa)
  • Patológicas: - aquelas que não se enquadram nos períodos acima.

Em nível de lesão orgânica, as patológicas podem ser conceituadas como:

  • Hipotalâmicas: lesões tumorais; psicogênicas (alterações de peso, pseudociese, etc); pós-anticoncepcional hormonal; síndrome olfato-genital (Kallmann); amenorréia; galactorréia funcional; amenorréia das atletas e bailarinas.
  • Hipofisárias: lesões tumorais (prolactinomas, etc); síndrome de Sheehan (necrose pós-parto); pan-hipopituitarismo; ausência seletiva de gonadotrofinas; síndrome da sela turca vazia.
  • Gonodais: disgenesia gonadal; ovários policísticos; ovários resistentes; falência ovariana prematura; tumores funcionantes; feminização testicular (S. Morris).
  • Útero-vaginais-anomalias congênitas: ausência de útero e vagina, septos e atresias adquiridas: sinéquia uterina, tuberculose, infecções outras.
  • Tiróide (raras): hipo ou hipertiroidismo descompensado.
  • Supra-renais: hiperplasias congênitas (ou com manifestação no adulto); tumores (benignos e malignos).
  • Causas gerais: desnutrição severa; obesidade; queimaduras extensas; hepato, pneumo e cardiopatias graves.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Amenorreia
http://vilamulher.terra.com.br/amenorreia-o-que-fazer-quando-a-menstruacao-para-11-1-60-164.html
http://boasaude.uol.com.br/lib/showdoc.cfm?LibCatID=-1&Search=anorexia&LibDocID=5316
http://www.phar-mecum.com.br/atual_jornal.cfm?jor_id=2188

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.