Apnéia do Sono

A apnéia do sono é um distúrbio que pode atingir homens, mulheres e crianças. Ocorre quando, durante o sono, a respiração é obstruída por alguns segundos (a média de 10 segundos), acontecendo diversas vezes durante a noite. Geralmente a apnéia é acompanhada pelo ronco.

O ronco ocorre quando a passagem do ar pelas vias aéreas é diminuída ou estreitada. A apnéia ocorre quando o estreitamento é maior, causando o colapso, ou o fechamento das vias aéreas. Somente quando o cérebro percebe a diminuição de oxigênio, manda um estimulo para que a pessoa volte a respirar, o que demora, em média, 10 segundos.

Como conseqüência, o sono não é reparador, causando sonolência durante o dia. Outros sintomas são: cefaléia durante o dia, irritabilidade, depressão, mudanças de personalidade, mudanças na voz, entre outros. Em longo prazo, a apnéia pode contribuir para o desenvolvimento de doenças cardíacas, como a hipertensão.

Geralmente, a causa da apnéia está relacionada a uma dessas situações:

• Excesso de tecido na garganta, causado por excesso de peso, o que resulta em dificuldade de manter a mesma aberta quando relaxada.

• Adenóides e amídalas maiores que o normal.

• Formato anatômico do pescoço e da cabeça dificulta a passagem de ar pela garganta.

• Relaxamento excessivo dos músculos da garganta e língua.

A apnéia pode ser classificada como:

• Obstrutiva – Tipo mais comum de apnéia, ocorre quando há a vibração das estruturas faríngeas, causada pela passagem de ar de forma turbulenta pelas vias aéreas superiores, quando estas se encontram mais estreitas. Após a obstrução, quando a respiração é retomada, é comum que a pessoa emita um ronco alto. Em longo prazo, a apnéia obstrutiva pode ser fator causador de hipertensão arterial.

• Central – Mais rara, a apnéia central ocorre devido a uma disfunção no sistema nervoso central, na área que envia os sinais de estimulo para os músculos respiratórios.

O tratamento desse distúrbio varia de acordo com as causas, e as condições do paciente (obesidade, hipertensão, etc.). Para alguns casos de apnéia obstrutiva leve ou moderada, existem dispositivos orais, que reposicionam a mandíbula ou que retém a língua em uma posição que favoreça a respiração. Outros tratamentos são: a Terapia com CPAP (utilização de uma mascara nasal ou facial que fornece o ar) ou mesmo a cirurgia.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças