Miosite

Por Marina Martinez
Miosite é uma doença da qual os músculos se encontram inflamados devido a um trauma, infecção bacteriana ou virótica, doenças auto-imunes (o próprio sistema imunológico do organismo ataca a si mesmo), por certos medicamentos e até mesmo por esforços físicos excessivos. Ela pode atingir todas as regiões do corpo provocando inflamações e causar a degeneração dos tecidos dos músculos progressivamente, resultando na perda de massa muscular. A miosite pode ainda afetar as artérias e vasos sanguíneos que percorrem o músculo.

Este tipo de patologia prejudica muito a qualidade de vida do indivíduo que se sente indisposto e dolorido para fazer todo tipo de atividade, pois seus músculos se encontram debilitados. Os músculos que são tecidos responsáveis pelos movimentos, nas miosites tornam-se fracos e não conseguem desempenhar o seu papel. Assim, o indivíduo com miosite acaba adquirindo uma deficiência em movimentos simples como subir escadas, levantar os braços, levantar de uma posição sentada e caminhar. Muitos ainda têm dificuldade para engolir e respirar.

Pessoas que se sentem fadigadas por simples movimentos e ainda sentem dores devem procurar um médico o quanto antes para que ele possa avaliar o caso e ver se há miosite, pois o reconhecimento precoce da doença é essencial. O diagnóstico da doença é confirmado após a realização de vários exames. Através do exame de sangue, por exemplo, pode-se saber se há alteração nas enzimas produzidas nos músculos e caso os valores estejam acima dos considerados normais, significa que há alteração inflamatória muscular.

O médico ainda poderá solicitar um exame de eletromiograma para avaliação e registro da atividade elétrica produzida pelo músculo, e uma biópsia do músculo afetado. A biópsia consiste na remoção de um pequeno pedaço do tecido muscular para que se possa fazer a análise e realizar um diagnóstico definitivo. Este procedimento não causa dores no paciente, pois antes da remoção do tecido usa-se um anestésico local.

Infelizmente a miosite não tem cura. No entanto os sintomas da doença podem ser tratados e o indivíduo poderá levar uma vida aparentemente normal. Opções de tratamento incluem medicamentos específicos (imunossupressores, corticosteróides, antiinflamatórios, etc.), terapia física e reabilitação, onde o paciente passará por um programa de terapia de manutenção física para melhorar e manter a resistência muscular, o tônus e flexibilidade. O tratamento irá variar de pessoa para pessoa e pode mudar ao longo do tempo.

Fontes:
http://www.lirnne.com.br/if_info_pacientes.htm
http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias.php?noticiaid=261&assunto=Reumatologia/Doen%C3%A7as%20Auto-Imune
http://www.gruparj.org.br/info/Info56/info56_pg1.htm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.