Pesquisas sobre o lúpus

Por Fernando Rebouças
O lúpus é uma doença que propicia que o ataque de anticorpos ao próprio organismo, gera dores nas articulações e manchas na pele. Referida como uma doença inflamatória no sistema imunológico responsável pela produção de anticorpos. Os anticorpos são responsáveis por defender o organismo de uma pessoa, mas, nesse caso, o organismo é atacado pelos próprios anticorpos. Na maioria dos casos, atinge mais as mulheres jovens.

Para tentar entender a real origem do lúpus, pesquisadores de diversos centros de pesquisa  do mundo buscam detectar o surgimento e desenvolvimento da doença e conseguir desenvolver novas drogas para o tratamento da mesma.  Já descobriram que no lúpus há emaranhados à base de DNA, proteínas e aminoácidos, dentre outras moléculas que desempenham ações na hiperatividade do sistema imunológico.

Esses emaranhados formam complexos que circulam pelo sangue com o potencial de atacar o organismo, gerando danos à pele, aos rins, às articulações e demais regiões do corpo humano. Geralmente, essa doença é tratada com imunossupressores que causam efeitos colaterais para o paciente.

Na Suiça, uma equipe internacional de pesquisadores no Hospital de Lausanne detectou que os complexo são compostos por aminoácidos que agem como se fossem bactérias. Os aminoácidos são provenientes dos neutrófilos (glóbulos brancos). Também comprovaram que os portadores do lúpus possuem duas proteínas que ativam os neutrófilos, atingindo o próprio DNA do organismo.

Nos EUA, no Instituto Baylor para Pesquisa Imunológica do Texas, pesquisadores comprovaram os neutrófilos dos portadores da doença sofrem morte acelerada. As pesquisas são uma esperança para a geração de tratamentos mais precisos para a doença.

Dentre os principais tipos de lúpus podemos citar:

  • Cutâneo ou discoide: manifestação de manchas na pele, chamado de lúpus eritematoso devido a incidência de manchas avermelhadas ou eritematosas.
  • Sistêmico : quando atinge algum órgão interno do corpo humano. A pessoa sente fadiga, febre, perda de apetite, sensibilidade ao sol e emagrecimento.

A detecção da doença depende exclusivamente da análise clínica do médico, podendo ser solicitado exame de sangue e de urina para analisar o estado do paciente.

Fontes:
http://superandolupus.org.br/site/2012/02/lupus-doenca-inflamatoria-cronica-de-origem-autoimune/
http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2010/06/lupus-rara-doenca-de-lady-gaga-atinge-jovens-em-torno-dos-20-anos.html

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.