Pielonefrite

Por Débora Carvalho Meldau
A pielonefrite é uma infecção do trato urinário superior, que envolve o rim, geralmente causada por bactérias vindas da bexiga, que alcança a pelve renal por via ascendente. Existe um segundo modo, que pode ser pela via hematógena, quando há alguma outra infecção no organismo, a bactéria pode viajar pela corrente sanguínea e acabar se alojando no rim.

Existem fatores que podem agravar o quadro de pielonefrite, como:

  • Sexo feminino: as mulheres são mais propensas às cistites (infecções de bexiga) do que os homens. Isto se dá em consequência da distância ser pequena e direta, entre a bexiga e a pele (onde as bactérias vivem normalmente);
  • Gravidez: durante a gravidez as chances de desenvolvimento desta infecção aumentam.
  • Obstrução: como tumores, cálculos, estenoses, aumento de próstata, entre outros, podem levar ao aumento da parte interna do rim (hidronefrose) e em infecção renal.
  • Diabetes Melittus;
  • Bexiga neurogênica: quando há problemas nervosos que impeçam a contração da bexiga e seu consequente esvaziamento;
  • Refluxo vesicouretral: pode ocorrer em crianças, devido a uma anormalidade existente na bexiga que permite que a urina volte em direção ao ureter;
  • Desenvolvimento anormal das vias urinárias;
  • Idade e baixa imunidade: em pessoas mais idosas e com o sistema imunitário comprometido, a pielonefrite pode levar a óbito.

Os sinais clínicos apresentados podem surgir de forma repentina (aguda) ou progressivamente (crônica), sendo que o paciente apresenta dor intermitente (cólica renal); dor no rim afetado devido ao aumento deste órgão; disúria (dificuldade para urinar); dificuldade ou sensação de urgência para urinar; urina fétida e concentrada; hematúria; sensação de mal-estar com arrepios; náuseas e vômito; febre alta.

O diagnóstico é feito através do histórico clínico que o paciente tem apresentado e também, através do exame clínico realizado pelo médico através da palpação e percussão da região lombar, havendo manifestação de dor por parte do paciente. Para um diagnóstico conclusivo é feito um exame de urina simples e um exame de sangue que irá confirmar a infecção. Através da urocultura, será elucidado o tipo de bactéria que está causando a infecção, deste modo, é feito um antibiograma para identificar quais antibióticos serão efetivos no tratamento da infecção em questão. Caso o paciente tenha alguma obstrução ou anormalidade anatômica no trato urinário, podem ser solicitados exames complementares como uma ultra-sonografia, uma tomografia computadorizada, uma urografia excretora ou uma cistoscopia.

O tratamento da pielonefrite aguda é feito a base de antibióticos de acordo com a bactéria em questão, por via oral. Na maioria das vezes, este tipo de infecção é causada pela bactéria Escherichia coli, comum nas fezes, e o tratamento é feito durante 10 a 14 dias. Nos casos da infecção ser causada por uma obstrução ou malformação, pode ser necessária a realização de cirurgia para eliminação da causa. Casos de pielonefrite crônica podem resultar em hipertensão arterial de causa renal, síndrome nefrótica e insuficiência renal, podendo existir a necessidade de realização de diálise.

A profilaxia desta doença pode ser feita com o aumento da ingestão de água durante o dia e também através do tratamento de problemas no trato urinário, como cálculos e malformações.

Fontes:
http://www.conhecersaude.com/adultos/3088-Pielonefrite.html
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?326
http://www.policlin.com.br/drpoli/110/
http://www.mdsaude.com/2009/01/pielonefrite-infeccao-dos-rins.html
http://www.elbrollo.com/intereses-diversos/la-botica-del-brollo/195226-pielonefritis-para-buenos-lectores.html

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.