Síndrome de Cushing

Por Débora Carvalho Meldau
A síndrome de Cushing, também conhecido como hipercortisolismo ou hiperadrenocortisolismo, é um conjunto de sinais e sintomas que indicam excesso de cortisona (hormônio) no sangue. Esse hormônio é liberado pela glândula adrenal (também conhecida como supre-renal) em resposta à liberação de ACTH pela hipófise no cérebro. Níveis elevados de cortisol (ou cortisona) também podem ocorrer devido à administração de certas drogas, como hormônios glicocorticóides, como a prednisona para asma, artrite reumatóide, lúpus e outras doenças inflamatórias.

A síndrome de Cushing e a doença de Cushing são muito parecidas, já  que o que a causa de ambas é o elevado nível de cortisol no sangue. O que difere é a origem dessa elevação. A doença de Cushing diz respeito, exclusivamente, a um tumor na hipófise que passa a secretar grande quantidade de ACTH e, consequentemente, há um aumento na liberação de cortisol pelas adrenais. Já a síndrome de Cushing pode ocorrer devido a um tumor presente nas glândulas supre-renais. É muito comum também em cães.

Os sintomas apresentados por pacientes portadores dessa síndrome são diversos. Ocorrer o aumento de peso, com depósito de gordura nas regiões do tronco e pescoço, formando um importante acúmulo que recebe o nome de “giba”.

Também ocorre depósito de gordura na face, na região conhecida como as “maçãs do rosto”, ficando também avermelhada, formando uma face conhecida como “lua-cheia”. Braços e pernas tornam-se mais finos, devido à perda muscular e, consequente, fraqueza muscular. A pele torna-se mais fina e frágil, resultando no surgimento de hematomas. No geral, os pacientes apresentam fraqueza, cansaço, insônia, irritabilidade, problemas mentais. Em indivíduos do sexo feminino, é muito comum ocorrer alterações no ciclo menstrual e também o surgimento de pêlos na face, tórax, abdômen, braços e pernas. A grande maioria dos pacientes desenvolve hipertensão arterial e diabetes, sendo assim, podem vir associados sintomas ao aumento da glicose sanguínea e da pressão arterial, como: cefaléia, sede exagerada, aumento do volume urinário, aumento do apetite e visão distorcida. Nos casos em que há um aumento de pêlos corporais, pode também haver o surgimento ou aumento de acne na face e no tronco; nas mulheres pode haver mudança na voz, queda de cabelo e redução das mamas.

O diagnóstico é feito com base no histórico clínico, exame físico, testes hormonais e exames de imagem, como radiografia, ultra-sonografia e tomografia computadorizada.

O tratamento dessa síndrome depende da causa. Quando for causada por medicação, o médico deve trocá-lo ou reduzir a dose. Caso o próprio organismo esteja liberando muito cortisol, o tratamento pode incluir medicação oral, cirúrgica radiação ou uma combinação desses.

Fontes:
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?392
http://pt.wikipedia.org/wiki/Síndrome_de_Cushing
http://www.bicodocorvo.com.br/saude/doencas/sindrome-de-cushing
http://www.medicinageriatrica.com.br/2007/05/30/sindrome-de-cushing/
http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias.php?noticiaid=2508&assunto=Endocrinologia/Gl%C3%A2ndulas
http://www.copacabanarunners.net/sindrome-cushing.html

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.