Síndrome de Zollinger-Ellison

Por Débora Carvalho Meldau
A síndrome de Zollinger-Ellison é uma grave doença caracterizada pela presença de hipersecreção ácida, úlcera péptica grave e tumor de células não-beta do pâncreas, denominados gastrinoma.

Nesta síndrome, há a presença de excesso de ácido clorídrico estomacal, uma vez que os gastrinomas induzem à produção do hormônio gastrina, que possui a função de estimular a secreção de suco gástrico. Consequentemente, há o surgimento de úlceras pépticas no estômago e também no duodeno em grande parte dos pacientes portadores da patologia em questão.

Observa-se que há um discreto predomínio desta síndrome em homens (60% dos casos), com idade entre 30 a 50 anos. A síndrome de Zollinger-Ellison é responsável por cerca de 0,1% a 1% da totalidade das úlceras duodenais.

As manifestações clínicas comumente apresentadas pelos pacientes com esta síndrome são:

  • Diarreia crônica, devido à elevada secreção ácida no intestino delgado em associação com disfunções secretoras e de absorção causadas pela exacerbada gastrinemia;
  • Náuseas;
  • Sintomatologia relativa ao refluxo esofágico (dor ou queimação)
  • Sibilos;
  • Vômito com sangue digerido;
  • Desnutrição;
  • Diminuição de peso em decorrência da perda de apetite.

Para realizar o diagnóstico diferencial entre a síndrome de Zollinger-Ellison e úlceras comuns, existem alguns fatores que, quando presentes, devem ser observados:

  • Existência de úlceras distais até a primeira porção do duodeno;
  • Presença de diversas úlceras no trato gastrointestinal;
  • Úlceras que não respondem ao tratamento típico;
  • Recorrência de úlcera após tratamento cirúrgico;
  • Presença concomitante de úlceras e diarreia;
  • Histórico familiar marcante de úlceras pépticas;
  • Associação de úlceras com alterações em paratireoide e pituitária;
  • Pesquisa de H. pylori negativa nas úlceras.

Quando houver suspeita da síndrome de Zollinger-Ellison, deve-se solicitar a dosagem sérica de gastrina, que se mostra 100% aumentada em pacientes portadores da síndrome, devendo ser assegurada que esta hipergastrinemia é primária, ocasionada pela presença do gastrinoma. Caso ainda restem dúvidas, também pode ser solicitado um teste de estimulação pela secretina, que deverá evidenciar uma elevação dos níveis de gastrina de 200pg/mL ou mais.

Por conseguinte, o gastrinoma deve ser localizado. Para tal, exames imagiológicos, como angiografia, tomografia computadorizada e ultrassonografia podem ser úteis. Contudo, o método de diagnóstico mais preciso para localizar o gastrinoma e suas metástases é a cintilografia de receptores de somatostatina. Quando todos os métodos anteriores não apontam a localização do tumor, o mesmo deve ser buscado por meio de uma laparotomia exploratória.

O tratamento que visa minimizar os sintomas é feito com o uso de fármacos inibidores da bomba de prótons (como o omeprazol e o pantoprazol) e antihistamínicos (ou antagonistas dos receptores de H2, como a ranitidina). Todavia, a cura é alcançada somente por meio da ressecção cirúrgica dos tumores ou quando tratados através da quimioterapia.

Fontes:
http://www.scielo.br/pdf/rcbc/v27n6/13.pdf
http://www.digimed.ufc.br/wiki/index.php/S%C3%ADndrome_de_Zollinger-Ellison
http://en.wikipedia.org/wiki/Zollinger%E2%80%93Ellison_syndrome

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.