Digestão Anaeróbica

Por Caroline Faria
A digestão anaeróbica (ou anaeróbia) é um processo de decomposição de matéria orgânica por bactérias em um meio onde não há a presença de oxigênio gasoso. Este método é usado há muito tempo pelo homem mesmo antes dele descobrir de que se tratava ou mesmo de saber sobre a existência dos microorganismos responsáveis por isso (como na confecção de vinhos).

A digestão anaeróbica atualmente é muito utilizada para o tratamento de resíduos como os provenientes de Estações de Tratamento de Esgoto (ETE’s), ou em biodigestores (mecanismos que usam geralmente detritos animais para a geração de biogás) que usam o gás resultante do processo para gerar energia.

Na digestão anaeróbica ocorrem diversos processos que juntos resultam na decomposição da matéria: a primeira fase é a liquefação ou hidrólise onde o material orgânico complexo é transformado em compostos dissolvidos ou matéria orgânica volátil; a segunda fase é a gaseificação que pode ser subdividia em duas fases fermentação ácida ou acidogênese, onde os compostos são transformados em ácidos orgânicos voláteis (fórmico, acético, propiônico, butírico e valérico), e a fermentação acetogênica ou acetogênese, onde os produtos da subfase anterior são transformados em acetato, hidrogênio e monóxido de carbono; a terceira e última fase é a metanogênese, onde os produtos da acetogênese são transformados, principalmente em metano (CH4), embora também sejam gerados outros gases.

Alguns processos para a digestão anaeróbia em estações de tratamento de esgoto são: “lodo ativado”, “filtro biológico”, “lagoas anaeróbias” ou ainda, “reatores anaeróbios”, entre outros. Note que o objetivo destes processos é a decomposição e tratamento de esgoto em primeiro plano não a obtenção de biogás como nos processos a seguir.

Os processos de biodigestão para geração do biogás como forma de obtenção de energia podem ser divididos por biodigestores “em batelada” ou biodigestores “contínuos”, que, por sua vez, se dividem em vários modelos dentre os quais podemos citar: o modelo indiano, que foi o primeiro a ser usado, o modelo chinês, o modelo, paquistanês, tailandês, coreano, filipino, o de deslocamento vertical e o modelo em plástico flexível.