Greenpeace

O Greenpeace é uma organização sem fins lucrativos que surgiu na década de 70 com o intuito de frear a destruição do planeta. Sem aceitar doações de governos, empresas ou partidos políticos, o Greenpeace (literalmente “paz verde”) atua há 37 anos com o apoio de mais de 3 milhões de civis no mundo todo que fazem doações à organização e participam de suas manifestações realizadas nos mais diversos lugares do mundo.

O nascimento do Greenpeace ocorreu em 15 de setembro de 1971. Em plena Guerra do Vietnã e no auge da Guerra Fria o mundo estava apreensivo e cansado das constantes ameaças nucleares ao planeta. Então, um grupo de pessoas resolveu que era preciso fazer algo para parar com os testes nucleares que eram realizados pelos EUA nas Ilhas Aleutas (na costa do Alaska).

A princípio, Dorothy e Irving Stowe, Maria e Jim Bohlen, Bob Hunter, Bem e Dorothy Metcalfe fundaram o “Comitê Não Faça Onda” para protestar contra a realização do segundo teste nuclear que seria realizado na ilha de Amchitka. Logo o nome do Comitê seria mudado, por acaso, para “Greenpeace”, quando tiveram que juntar as duas palavras para conseguir incluí-las em um bottom.

A questão é que em 1969 já havia sido realizado um protesto contra a realização do primeiro teste nuclear em Amchitka que reunira dez mil pessoas na fronteira entre o Canadá e os EUA. Porém, o protesto foi desprezado pelo governo americano e os testes realizados. Com isso, os integrantes do Comitê sabiam que era preciso fazer algo mais.

Foi de Marie Bohlen a idéia de realizar um protesto no local dos testes, dando início a uma maneira de agir que caracteriza as ações do Greenpeace até os dias de hoje: a ação direta.

Assim, em 15 de setembro de 1971 o capitão John Cormack, Jim Bohlen, Bill Darnell, Patrick Moore, Dr. Lyle Thurston, Dave Birmingham, Terry Simmons, Richard Finnenberg, Robert Hunter, Bem Metcalfe, Bob Cummings e Bob Keziere, embarcaram no “Phyllis Cormack” um navio de pesca, rumo à Amchitka para protestar de forma pacífica contar mais um dos testes nucleares americanos.

Entretanto, os tripulantes não conseguiram chegar ao seu destino. Em 20 de outubro a tripulação foi presa e obrigada, pela Guarda Costeira dos EUA, a retornar. Porém, a semente já havia se espalhado. Os tripulantes do Phyllis Cormack eram notícia em toda a América do Norte e o teste foi adiado por mais um mês. E seria o último.

Atualmente o Greenpeace está presente em quarenta países e seus integrantes são conhecidos em muitos países como os “Guerreiros do Arco-Íris” devido a uma profecia indígena que Robert Hunter lera na histórica viagem á Amchitka: “Um dia a terra vai adoecer. Os pássaros cairão do céu, os mares vão escurecer e os peixes aparecerão mortos nas correntezas dos rios. Quando esse dia chegar, os índios perderão o seu espírito. Mas vão recuperá-lo para ensinar ao homem branco a reverência pela sagrada terra. Aí, então, todas as raças vão se unir sob o símbolo do arco-íris para terminar com a destruição. Será o tempo dos Guerreiros do Arco -Íris."

“Rainbow Warrior” também foi o nome de um dos mais famosos navios utilizados pelo Greepeace.

Arquivado em: Ecologia