Poluição dos Lençóis Freáticos

Por Fernando Rebouças
Sabemos que todo tipo de poluição gera desequilíbrios e perdas biológicas no meio ambiente, dentre as poluições mais nocivas, a poluição dos lençóis freáticos compromete o acesso a água potável e o equilíbrio dos ecossistemas. Em países europeus é comum o uso intensivo de insumos químicos na agricultura e, nos últimos anos, a utilização desses insumos tem gerado a diminuição de microorganismos e de insetos no solo.

Como consequência ocorre um atraso na reciclagem das fezes depositadas pelos animais no solo. Outra preocupação, não somente na Europa mas em todos as atividades agrícolas no mundo, é esta poluição atingir os níveis de depósito natural dos lençóis freáticos.

Os lençóis freáticos consistem em depósitos subterrâneos de água, esses depósitos são resistentes a determinados processos de contaminação em comparação com a água existente na superfície. Por ser subterrânea a água tem o solo como um filtro químico e físico, porém há possibilidades de um determinado insumo ou resto químico atingir essas águas. As possibilidades de haver poluição nos lençóis freáticos dependem do tipo de aquífero, profundidade, permeabilidade, matéria orgânica e minerais presentes no solo.

Aquífero

Os aquíferos semiconfinados são  resistentes ao processo de absorção de poluidores; os aquíferos freáticos são mais vulneráveis do que os semiconfinados. Os mais vulneráveis não os cársticos e os porosos  mais resistentes.

Espessura da zona de aeração (Profundidade)

Quando a espessura da zona de aeração são maiores , exigem um maior tempo de filtragem e o tempo de exposição do poluente aos agentes oxidantes e elementos de adsorção da zona de aeração.

Permeabilidade do aquífero

Quando uma zona de aeração é impermeável ou possui baixo nível de impermeabilidade, esta zona torna-se numa barreira à infiltração de poluentes na área do aquífero. Os aquíferos mais extensos podem ser cobertos parcialmente por níveis impermeáveis de modo não uniforme. A transmissividade que consiste num alto nível de permeabilidade possibilita uma acelerada difusão da poluição, pois na medida que a velocidade do fluxo subterrâneo acelera em direção às áreas de retirada de água ocorre o avanço das manchas provocadas pela poluição.

Matéria orgânica no solo

Toda matéria orgânica presente no solo é capaz de adsorver diferentes metais pesados e moléculas orgânicas. A elevação do teor de matéria orgânica no solo diminui o impacto ambiental da agricultura.

Óxidos e minerais presentes no solo

São capazes de reter vários tipos de elementos e compostos. Quando o solo é contaminado por nitrato, mas possui um balanço positivo de cargas há um processo natural de compensação química. Nas regiões tropicais, os óxidos de ferros, alumínio e caolinita apresentam cargas positivas que faz com que o poluente que atinge o solo passe uma série de reações químicas, boquímicas, fotoquímicas e físicas antes de atingir as águas subterrâneas.

Além dos poluentes provenientes de aditivos agrícolas, os lençóis freáticos também são alvo do “necrochorume” proveniente da decomposição de corpos que levam em média quase três anos. O necrochorume é composto por putresina e cadaverina, substâncias tóxicas.

Para não haver a poluição dos lençóis freáticos por essas substâncias tóxicas, faz-se necessário a instalação de filtros biológicos nos cemitérios, além do monitoramento das água e conhecimento da profundidade das mesmas nos locais onde estão instalados os cemitérios.

Fontes:
http://www.meioambiente.pro.br/agua/guia/poluicao.htm
http://www.ecolnews.com.br/contam_cem.htm