Reciclagem de Latas de Alumínio

Por Fernando Rebouças
Nos últimos anos, o Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking mundial em reciclagem de latas de alumínio. Em 2006, o país reaproveitou 94,4% do alumínio consumido. O Japão ficou em segundo com 90,9%, seguido pela Argentina , com 88,2%.

Os dados são publicados e atualizados pela Associação Brasileira de Alumínio (Abal) e pela Associação da Indústria de Latas (Abralatas). O Brasil conseguiu formar um ciclo permanente de reciclagem e reaproveitamento do alumínio contido nas latinhas.

A reciclagem de alumínio representa uma importante economia de energia para as indústrias. O processo de reciclagem consome 700 kw/h ao ano, o que representa 5% a menos em comparação ao gasto na fabricação que abrange os processos de elaboração inicial do alumínio, de transformação da bauxita em alumina e a finalização do material em barras de alumínio.

A economia de energia elétrica alcançada com o processo de reciclagem daria para abastecer uma cidade do tamanho de Campinas - SP. No outro extremo, o ciclo de reciclagem gera oportunidades de ganho financeiro e de mercado para os catadores de latinha e para as cooperativas. A latinha catada nas ruas rende por unidade mais do que o quilo do papel e das garrafas pet.

A cada 74 latinhas recolhidas, o catador recebe cerca de 3 reais , enquanto que pelo quilo de papel, recebe 10 centavos; por 20 garrafas pet de 2 litros, recebe 0,30 centavos.

A reciclagem do alumínio, insumo principal na produção das latas de cerveja e refrigerantes, representa uma grande vitória contra a degradação da natureza. Estima-se que o alumínio pode levar de 100 a 500 anos para se degradar por completo na natureza, enquanto que o ciclo da reciclagem o elimina em 30 dias.

O alumínio é uma material 100% reciclável, e seu reaproveitamento elimina a necessidade de emissão de CO2 na atmosfera pela produção. A emissão cai para 5% no processo de reciclagem.

A reciclagem é feita em dez etapas, por possuir um valor residual mais elevado torna-se numa fonte de renda mais atrativa em comparação ao plástico e ao papel. A sucata de alumínio vale 33 vezes a mais do que o aço e, 55 vezes a mais, do que o vidro.

Confira a seguir os dez procedimentos da reciclagem:

  1. Compra: as latas são compradas pelos consumidores, junto com a bebida.
  2. Consumo: depois de consumida a bebida, a lata vazia é levada por sucateiros aos postos de coleta.
  3. Coleta: Nesses locais, as embalagens são prensadas com todas as suas partes (corpo, tampa e anel)
  4. Prensagem: Neste estágio, as latas são prensadas novamente. Desta vez, em grandes fardos, como são chamados os “pacotes” volumosos e pesados, fáceis de serem transportados.
  5. Fundição: As latinhas são derretidas em fornos especiais para latas de alumínio
  6. Lingotamento: Aqui todo o material é transportado em lingotes fundidos sob a forma de tiras, apropriadas para uma refusão ou transformação
  7. Laminação: Os lingotes passam por um processo de deformação plástica no qual o material passa entre rolos e se transforma em bobinas de alumínio
  8. Novas Latas: As bobinas são usadas para fazer novas latinhas
  9. Enchimento: Na fábrica de bebidas, as latas passam por um processo de enchimento para ganhar aquele tradicional formato “oco” que conhecemos
  10. Consumo: Depois as latas são distribuídas mais uma vez aos pontos de venda, fechando o ciclo de reaproveitamento do alumínio

Leia também:

Fontes:
http://www.setorreciclagem.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=621
http://ambiente.hsw.uol.com.br/reciclagem-de-aluminio.htm