Reciclagem de Plásticos

Por Fernando Rebouças
O plástico é derivado do petróleo, proveniente de resinas sintéticas referidas como polímeros. O termo “plástico” tem origem grega, cuja palavra “plastikós” designa algo referente à moldagem. É uma estrutura flexível, facilmente moldável. Seu uso principal predomina em embalagens de diversos produtos, itens de uso pessoal, garrafas, sacolas de mercado, sacos de lixo e até brinquedos.

O primeiro plástico, conhecido como celulose, surgiu em 1864. O atual PVC – Policloreto de Vinila - surgiu em 1913, a passou a ser industrializado durante a II Guerra Mundial. Do petróleo, entre os derivados, retira-se o “nafta” que é encaminhado às indústrias petroquímicas, onde são gerados os gases eteno e propeno.

Por meio de processamento químico, essas substâncias são transformadas em resinas plásticas ou polímeros. Na indústria e no comércio atual, o plástico tem substituído a madeira, metais, itens metálicos, o vidro, o papel e as fibras animais e vegetais, representando vantagens no custo e na sua utilização.

Para mitigar a poluição emitida no processo de fabricação do plástico e seu descarte nocivo na natureza, as empresas e governos de todo mundo têm implementado sistemas de coleta e reciclagem. O processo de reciclagem do plástico é referida como revalorização.

Inicialmente, o plástico é coletado e moído. Posteriormente, o material moído é lavado e enviado a um processo de descontaminação, permitindo a sua granulação. Todo o processo de seleção, moagem, lavagem e descontaminação seguem padrões específicos.

No Brasil, a reciclagem do plástico é um grande desafio pela falta de consciência por parte da indústria e das redes varejistas e pela facilidade de uso e descarte. O plástico coletado pode ser proveniente de postos de coleta seletiva, programas sociais, escolas, cooperativas de catadores ou simplesmente do lixão. A reciclagem do plástico representa 17,5%. O nosso país conta com o programa “Plastivida” implementado pela Associação Brasileira da Industria Química (Abiquim). Pelas pesquisas realizadas pela entidade, atualmente, o Brasil está acima de países como Portugal e Grécia, países que reciclam abaixo de 5% de seu plástico usado.

O Brasil apresenta um forte potencial de produção para a reciclagem do plástico, estima-se que o nosso país tenha a capacidade instalada na indústria de 340 mil toneladas ao ano em produção. Em 2002, o Brasil produziu 3,9 milhões de toneladas de plástico e, segundo a Plastivida, o Rio Grande do Sul lidera o índice de reciclagem pós-consumo com uma taxa de 27,6%, seguido por Ceará (21,3%) e o Rio de Janeiro (18,6%).

Leia também:

Fontes:
http://www.cempre.org.br/2004-0102_inter.php
http://www.reciclaveis.com.br/negocios/Plastico/Linha.htm
http://www.unicamp.br/fea/ortega/temas530/mariana.htm
http://www.schoeller-plast.com/recycling.htm
http://panenutella.wordpress.com/2008/05/27/decomporre-la-plastica-in-3-mesi-anziche-1000-anni/