Comércio atacadista

Comércio atacadista é aquele destinado à comercialização de grandes quantidades de determinado produto, ou de produtos de emprego similar, sendo o intermediário entre fabricantes e varejistas, comprando e vendendo de diversos fornecedores, inclusive empresas concorrentes. A Divisão Estatística das Nações Unidas possui uma definição para a atividade do atacadista, que assim se apresenta: revenda (venda sem qualquer modificação) de bens novos e usados para comerciantes, destinado a usuários nos setores industrial, comercial, institucional ou profissional ou a outros atacadistas ou agindo ainda como um agente ou corretor na compra ou venda de mercadorias para determinadas pessoas ou empresas. Os atacadistas frequentemente embalam, separam, e classificam fisicamente as mercadorias em lotes, loteando, embalando e distribuindo em lotes menores. Oferecem costumeiramente preços mais baratos por se tratarem de um elo da cadeia do comércio, fornecendo produtos para os comerciantes.

Assim, os lojistas recorrem a tais vendedores para suprir os estoques de suas lojas, cobrando um preço superior ao que se gastou na compra do determinado lote. Outras vezes, aliás, muito comumente, o atacadista também atua como distribuidor, repassando o sortimento de produtos de que dispõe aos comerciantes que visita. Exemplo de atacadista no setor de editorial foi o da editora Record, que começou como fornecedora e distribuidora de títulos (livros) que eram oferecidos a outras editoras para que os publicassem, ou até mesmo histórias em quadrinhos, as quais podiam ser escolhidas por meio de catálogo e adquiridas por meio de um valor de locação pago regularmente.

A origem do comércio atacadista pode ser traçada em meio ao crescimento do comércio e sua gradual especialização. Antes, o próprio produtor era o comerciante de sua produção, pois o excedente não era de tão grande monta que este mesmo não pudesse comercializá-lo. Mas, na Europa, no fim da Idade Média, vemos surgir o capitalista distribuidor de produtos responsável pelo fornecimento para toda a Europa dos bens que se importavam, especialmente após o advento das grandes navegações, onde a variedade e a quantidade de produtos comercializáveis multiplicou-se espantosamente. Os holandeses, principalmente, e também os belgas e alemães recebiam os produtos de mãos portuguesas e espanholas, através de suas feitorias espalhadas pelo mundo. O chamado "Galeão de Manila", que saía do México, indo até as Filipinas duas vezes ao ano fazia pioneiramente o papel de atacadista para o aparato governamental espanhol instalado naquele país asiático, fornecendo os bens que eram solicitados a cada ida.

Com o desenvolvimento das rotas comerciais, o aumento do volume e variedade de produtos comercializados, e ainda a demanda do consumidor, a atividade do atacadista cada vez mais foi tomando corpo, sendo possível surgir grandes fornecedores de segmentos cada vez mais especializados.

Bibliografia:
Detailed structure and explanatory notes (em inglês). Disponível em: <http://unstats.un.org/unsd/cr/registry/regcs.asp?Cl=9&Lg=1&Co=6> . Acesso em: 04 set. 2011.

Glossário. Disponível em: <http://www.gristec.com.br/glossario.php?pag=7> . Acesso em: 04 set. 2011

Arquivado em: Economia