Indústria de base

Por Fernando Rebouças
A indústria de base, também referida de indústria de bens intermediários ou pesada, é responsável pela produção de matéria-prima para fornecer para outra indústria, é formada, principalmente, pelos setores da siderurgia, metalurgia, petroquímica e cimento.

São capazes de transportar imensas quantidades de matéria-prima, na maioria dos casos, estão localizadas nas proximidades de estradas, portos, ferrovias e fontes de extração de matéria-prima in natura. Num exemplo bastante simples, podemos citar a metalúrgica que fabrica o aço a ser utilizado pela indústria automotiva (indústria de bens duráveis).

Nos últimos anos, no Brasil e no mundo, esse segmento industrial alcançou crescimento. Porém, tem gerado desafios para os países emergentes, onde os custos de produção são mais baixos, mas o nível de capacitação ainda não é igual ao de países desenvolvidos.

Assim como em toda indústria, na de base é necessário que o material produzido tenha qualidade e bom preço para alcançar bom nível de competitividade, podendo contar com uma plataforma de inovação tecnológica para gerar diferenciação. No setor industrial, os custos inferem diretamente na capacidade de se competir no mercado nacional e internacional.

Nos países emergentes, a indústria de base tem mantido os custos de produção mais baixos e avançado no treinamento de seus trabalhadores e na engenharia. No Brasil, esse tipo de indústria fornece insumo para todos os setores de produção, abrangendo a mineração, a siderúrgica, a metalúrgica e a de cimentos.

Em 2011, a produção de aço bruto no país atingiu o patamar de 35,3 milhões de toneladas, um aumento de 7,2% em comparação com o ano de 2010. O consumo aparente do aço no Brasil foi de 25 milhões de toneladas em 2011, 4% abaixo do consumido em 2010. Em 2011, as exportações do aço brasileiros atingiram um aumento de 26%.

A indústria de base brasileira investiu 5,52 bilhões de reais em 2011, 55% a mais em comparação ao ano de 2010. Por setor, os investimentos foram registrados da seguinte maneira: a mineração elevou de 31,7% para 54,1%; a siderurgia de 52,9% para 32,6%; e cimento de 15,4% para 13,4%, em valores absolutos.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ind%C3%BAstria_de_base
http://www.booz.com/br/home/42546309/42546557/43179185
http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Hotsites/Relatorio_Anual_2011/Capitulos/desempenho_operacional/insumos_basicos/