Suíça limita imigração a todos os países da União Europeia

A Suíça não pertence ao grupo de países que adotaram o Euro como moeda comum, tampouco é parte integrante da União Europeia, porém desde que o país concordou com a livre circulação de pessoas do bloco em 1999, o contingente imigratório oriundo dos países cuja moeda é o Euro, especialmente da Espanha e Portugal, onde o nível de emprego está cada vez mais baixo, aumentou consideravelmente.

O país agora vive momentos de tensão político-econômico. Suas quatro forças políticas mais influentes – os Partidos: Democrata Cristão (PDC), Socialista Suíço (PSS), Liberal Radical da Suíça (PLR) e o Partido Popular Suíço que carrega a sigla (UDC) por estar oficialmente registrado como União Democrática do Centro – alegam que a imigração está, além de dificultando o acesso ao emprego de seus cidadãos, pressionando questões estruturais como a habitação e o transporte público.

Bruxelas, capital de fato da União Europeia, tem criticado ferrenhamente tal comportamento político suíço, que teve início no ano de 2012 quando o país decidiu introduzir cota às permissões de livre circulação por ano. Em tal ocasião, o governo central suíço decidiu limitar a circulação apenas de pessoas do centro e do leste da União Europeia. Entretanto, agora a medida foi estendida para todos os países pertencentes ao bloco.

Os dirigentes do bloco econômico alegam que a Suíça, ao longo dos anos, tem sempre tentado ficar com a parte mais prazerosa da União Europeia, como exemplo, as relações comerciais. Em um comunicado a imprensa, publicado em abril (24) de 2013, Catherine Ashton, representante da União Europeia para assuntos estrangeiros e vice-presidente da comissão, declarou que lamenta a decisão do governo suíço em continuar a limitar a livre circulação dos cidadãos dos países membros da União Europeia, pois, segundo a dirigente, essa é uma medida que põe em risco várias ações conjuntas já estabelecidas entre as partes.

Países Membros da União Europeia

Alemanha; Áustria; Bélgica; **Bulgária; Chipre; *Dinamarca; Eslováquia; Eslovénia; Espanha; Estónia; Finlândia; França; Grécia; *Hungria; Irlanda; Itália; *Letónia; *Lituânia; Luxemburgo; Malta; Países Baixos; *Polônia; Portugal; *Reino Unido; *República Checa; **Roménia; *Suécia.

*Países que não adotaram o Euro como moeda;

**Países ainda em fase de transição.

Indicadores Econômicos Suíços

  • Direção das Exportações – As exportações suíças foram destinadas em grande parte aos vizinhos europeus, que corresponderam a 46% do total de 2011. A Alemanha foi o destaque, sendo destino de 1/5 das vendas do país. Destacaram-se ainda: Estados Unidos (10%); Itália (8%); e França (7%) (MRE-DPR, 2012).
  • Origem das Importações – Os vizinhos europeus foram os principais fornecedores de mercadorias para a Suíça. A Alemanha, Itália, França, Países Baixos, Áustria, Reino Unido, Irlanda e Bélgica abasteceram 70% das necessidades de importação do país em 2011. Destacaram-se também Estados Unidos (5 %) e a China (3%) (MRE-DPR, 2012).
  • PIB (US$) – 629,5 bilhão (2012);
  • PIB PPC* per capita (US$) – 54.600 (2012);
  • Força Laboral por ocupação – Agricultura: 3.4%, Indústria: 23.4% e Serviços: 73.2% (est. 2012);
  • Principais Produtos de Exportação – Produtos químicos; metais; relógios e produtos agrícolas.

* Poder de Paridade de Compra

Referências
BBC NEWS. Switzerland to limit immigration from all EU states. Disponível em < http://www.bbc.co.uk/news/world-europe-22285886>
BRASIL. BrasilGlobalNet. Disponível em <http://www.brasilglobalnet.gov.br>
CENTRAL INTELLIGENCE AGENCY. The word factbook. Disponível em <https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/index.html>

Arquivado em: Economia