Competências no Enem: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação

Esta Competência exige que seja respeitada a organização racional e inteligível dos fragmentos do discurso. Partindo da certeza de que todo conteúdo escrito é fruto de uma conexão de conceitos, é preciso lembrar, no momento da criação da redação, que o texto será o produto final da mistura de várias concepções agregadas em volta de uma teoria a ser comprovada, a tese.

Assim sendo, cada parágrafo será estruturado por uma ou mais frases, constituídas por orações e igualmente organizadas, no sentido de que cada informação nova tem que apresentar uma ligação com as precedentes. Por esta razão o estudante necessita recorrer a inumeráveis instrumentos da língua que assegurem a sequência fundamental para a produção de um discurso coerente.

No julgamento dessa competência, os avaliadores verificarão o uso correto do encadeamento textual. A estruturação do texto demanda que as frases criem entre elas uma ligação que afiance a continuidade racional do discurso e a dependência recíproca entre os conceitos. Essa tessitura pode aparecer sob a forma de conectivos, elementos do léxico, ou poderá ser deduzida da própria conexão dessas concepções.

A coerência do discurso será construída também a partir da utilização de preposições, conjunções, advérbios e locuções adverbiais, pois esses recursos permitem a produção de uma correlação entre orações, frases e parágrafos. A fim de assegurar a coesão do texto, o aluno precisa seguir alguns preceitos em etapas distintas. É sobre esses parâmetros que discorrerei de agora em diante.

É preciso estar atento à construção dos parágrafos. Eles constituem exemplares de textos constituídos por um conceito essencial, ao qual se vinculam ideias auxiliares. No discurso dissertativo-argumentativo, os parágrafos podem ser elaborados por analogia, causa-efeito, exemplos, pormenorização, entre outros.

Outro item importante é o desenvolvimento dos períodos, geralmente complexos neste gênero de texto, ou seja, é integrado por duas ou mais orações. Assim podem enunciar os conceitos de causa-efeito, paradoxo, tempo, analogia, conclusão, entre outros.

A referenciação é igualmente imprescindível. As alusões a seres, objetos, espaços e eventos são encetadas e posteriormente resgatadas conforme o discurso se desenvolve. Esse mecanismo é traduzido por pronomes, advérbios, artigos ou palavras de vertente lexical, utilizados como sinônimos, antônimos, hipônimos, hiperônimos, expressões resumidas, metafóricas ou metadiscursivas.

É recomendável usar alguns artifícios de coerência na hora de aludir a componentes já presentes no discurso: trocar vocábulos ou locuções por pronomes pessoais, possessivos e demonstrativos, advérbios que indicam lugar, artigos; permuta de palavras ou enunciados por sinônimos, antônimos, hipônimos, hiperônimos, expressões resumidas ou metafóricas; conversão de substantivos, verbos, períodos ou partes do discurso em conjuntivos ou expressões que sintetizem e resgatem o que já foi afirmado; e elipse ou preterição de itens mencionados antes ou rapidamente reconhecíveis.

Veja as outras competências do Enem que são exigidas:

Fonte:
http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/downloads/2012/guia_participante_redacao_enem2012.pdf

Arquivado em: Educação